“Lado sombrio” da Igreja: cardeal promete aprender com relatório sobre abusos sexuais

Investigação detalhou centenas de casos de abuso sexual nos últimos 75 anos na arquidiocese do cardeal Reinhard Marx, na Alemanha

Cardeal Reinhard Marx dá entrevista coletiva.
Cardeal Reinhard Marx dá entrevista coletiva. Foto: Sven Hoppe/Pool via Reuters

Madeline Chambersda Reuters

em Berlim

Ouvir notícia

Um cardeal da Igreja Católica prometeu nesta quinta-feira aprender com um relatório que detalhou centenas de casos de abusos sexuais nos últimos 75 anos em sua arquidiocese alemã, e que destacam que a Igreja havia sido um lugar de tristeza e medo para muitos.

O cardeal Reinhard Marx, arcebispo de Munique e Freising, respondeu a um relatório de um escritório de advocacia publicado na semana passado sobre abusos sexuais na arquidiocese e que inclui críticas sobre como alguns casos foram conduzidos por ele e pelo ex-papa Bento XVI.

“Havia um lado sombrio (da Igreja) que veio à luz nos últimos anos. Esse lado sombrio é considerado em um olhar honesto e realista da Igreja de hoje”, disse Marx em entrevista coletiva.

“Para muitas pessoas a Igreja era um lugar de tristeza, um lugar de medo”, disse Marx, uma liderança progressista dentro da Igreja.

O relatório publicado na semana passada pelo escritório Westpfahl Spilker Wastl (WSW) sobre o período entre 1945 e 2019, comissionado pela Arquidiocese de Munique, foi o último capítulo de uma crise sobre abusos sexuais que estremeceu a Igreja Católica na Alemanha e em outros países nos últimos anos.

O documento revelou 497 vítimas de abuso, a maioria delas do sexo masculino, mas acrescentou que o número era provavelmente maior, e apontou 235 supostos abusadores, incluindo 173 padres.

O escritório acusa Marx de má conduta na resposta a dois casos de suspeita de abuso e também critica Bento XVI por falhar em agir em quatro casos quando era arcebispo de Munique. O ex-papa negou as irregularidades.

Mais Recentes da CNN