Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Libertação de reféns é “esperançosamente o começo de mais”, diz fonte diplomática

    Duas reféns norte-americanas, uma mãe e sua filha, foram libertas pelo Hamas nesta sexta-feira (20)

    Mãe e filha norte-americanas foram libertadas pelo Hamas nesta sexta-feira (20)
    Mãe e filha norte-americanas foram libertadas pelo Hamas nesta sexta-feira (20) Reprodução/CNN

    Becky Andersonda CNN

    A libertação de duas reféns norte-americanas sequestradas pelo grupo radical islâmico Hamas nesta sexta-feira (20) é “esperançosamente o começo de mais ações por vir”, disse uma fonte diplomática à CNN.

    A fonte confirmou que as reféns, uma mãe e sua filha, já estavam com a Cruz Vermelha e indicou que nenhuma troca fez parte da sua libertação. A motivação foram “razões humanitárias”, já que a saúde da mãe está debilitada.

    Não está claro se elas deixarão Gaza em direção ao Egito ou a Israel.

     

    É o resultado das negociações entre o Qatar e o Hamas, que começaram após a organização extremista raptar cerca de 200 pessoas no ataque surpresa a Israel, em 7 de outubro.

    “Em resposta aos esforços do Catar, as Brigadas Al-Qassam libertaram duas cidadãs americanas (uma mãe e a sua filha) por razões humanitárias e para provar ao povo americano e ao mundo que as alegações feitas por Joe Biden e sua administração fascista são falsas e infundadas”, disse o porta-voz do Hamas, Abu Obaida, em comunicado.

    A Casa Branca e o gabinete do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, não comentaram o episódio.

    Veja mais – Lourival Sant’Anna: Reféns são carta na manga do Hamas para conter Israel