Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Livro revela segredos e curiosidades de Melania Trump como primeira-dama

    Ex-assessora revelou obsessões da ex-primeira-dama, os bastidores da polêmica jaqueta usada por Melania e os apelidos dados por funcionários da Casa Branca

    A ex-primeira-dama dos EUA, Melania Trump
    A ex-primeira-dama dos EUA, Melania Trump Foto: Jonathan Ernst - 4.fev.2020/Reuters

    Kate Bennettda CNN

    Ouvir notícia

    Durante seus cinco anos trabalhando em vários cargos como assessora sênior de Donald e Melania Trump na Casa Branca, Stephanie Grisham teve talvez o ponto de vista mais íntimo de sua passagem pelo interior da residência oficial dos presidentes dos Estados Unidos e relatou suas experiências em um livro de memórias.

    A publicação, que revela detalhes do comportamento e do estilo de vida da ex-primeira-dama Melania Trump, será lançada nos EUA no dia 5 com o título “I’ll Take Your Questions Now: What I Saw at the Trump White House” (em tradução livre: “Vou responder às suas perguntas agora: o que vi na Casa Branca de Trump”).

    A CNN obteve uma cópia antecipada do livro. Melania é amplamente reconhecida como a mais privada e menos conhecida primeira-dama de todas na história política americana moderna.

    Grisham trabalhou como diretora de comunicações e chefe de gabinete de Melania Trump, e seu relato dessas experiências – desde a decifração do casamento de Trump até o relacionamento de Melania Trump com sua enteada, Ivanka Trump.

    O livro também aborda a ética de trabalho um tanto indiferente da ex-primeira-dama; e inclinação para álbuns de fotos. Os fatos relatados revelam novos traços da mente de Melania Trump.

    Em um comunicado fornecido à CNN no início desta semana, Donald Trump disse: “É uma pena que os editores continuem a relatar esse lixo chato. Nós e o movimento MAGA estamos totalmente acostumados com isso. E algum dia, em um futuro não muito distante, iremos ter nossa voz de volta e seremos tratados com justiça pela imprensa.”

    A porta-voz de Trump, Liz Harrington, acrescentou: “Este livro é outra tentativa lamentável de lucrar com a força do presidente e vender mentiras sobre a família Trump”.

    A CNN entrou em contato com o escritório de Melania Trump para comentar o livro de Grisham. Em uma declaração ao The Washington Post, que relatou detalhes do livro, o escritório de Melania Trump afirmou que Grisham teve um “mau desempenho” em sua função na Casa Branca.

    “A intenção por trás deste livro é óbvia”, disse o escritório de Melania Trump em seu comunicado ao Post. “É uma tentativa de se redimir depois de um mau desempenho como secretária de imprensa, relacionamentos pessoais fracassados ​​e comportamento não profissional na Casa Branca. Por meio da mentira e da traição, ela busca ganhar relevância e dinheiro às custas da Sra. Trump.”

    Melania Trump, assim como Donald Trump, lia obsessivamente as notícias sobre ela

    Melania Trump frequentemente aparecia em público como primeira-dama sem muitas indicações sobre o que ela estava pensando. Em público, ela raramente sorria. Havia a impressão de que ela realmente não se importava, nem se incomodava, com o que o público americano – e, principalmente, com o que a mídia pensava sobre ela. De acordo com Grisham, porém, esta não era a realidade.

    Melania gostava de ler cada matéria escrita sobre ela, com consistência e frequência. “Como seu marido e todos os seus filhos, a Sra. Trump examinou seus recortes de jornal como uma arquiteta especialista, focada em projetos”, escreve Grisham. “Nenhum detalhe foi esquecido, nada passou despercebido. Ela configurou alertas do Google para si mesma e viu tudo.”

    Como sua porta-voz, Grisham recebia vários textos por dia sobre a primeira-dama, muitos sobre como responder – ou não responder – a uma mídia de notícias global obcecada em entender a misteriosa e esquiva personalidade da primeira-dama.

    A primeira-dama dos EUA, Melania Trump
    A primeira-dama dos EUA, Melania Trump, durante a Convenção Nacional Republicana 2020 / Foto: Reprodução – 25.ago.2020 / Reuters

    ‘Rapunzel’: o apelido de Melanie

    Grisham também escreve com experiência sobre a falta de tempo no escritório da Casa Branca com sua chefe. Não em termos de ficar cara a cara com Melania Trump, na Ala Leste, mas em termos de Melania realmente estar nos escritórios.

    Grisham diz que se lembra de ter visto sua chefe na espaçosa suíte de escritórios destinada à primeira-dama apenas “algumas vezes” durante os quatro anos em que trabalhou na Casa Branca.

    “A Sra. Trump trabalhava em casa muito antes do país”, diz Grisham, fazendo uma referência aos hábitos de trabalho remoto durante a pandemia da Covid-19.

    “Quando garantido, tínhamos reuniões pessoais, mas geralmente aconteciam na Sala do Mapa, em frente aos elevadores da residência. Lá, planejávamos horários, respondíamos a perguntas urgentes e discutíamos metas. Fora isso, o a primeira-dama ficava em seus quartos na residência oficial.”

    Grisham diz que devido a Melania Trump sempre estar nas dependências da residência executiva, o Serviço Secreto deu a ela o apelido de “Rapunzel”, “porque ela permaneceu em sua torre, nunca desceu.”

    Melania se preocupava muito com seu “autocuidado”, que incluía muitas horas de sono para manter sua beleza. Grisham diz que a equipe da ala leste raramente tinha notícias de sua chefe antes das 10 horas da manhã na maioria dos dias.

    “Ela acreditava que o relaxamento era fundamental para o regime de beleza de uma pessoa, assim como, é claro, os tratamentos de spa e tratamentos faciais”, escreve Grisham.

    Grisham também diz que o principal “trabalho” de Melania que o público não viu durante seus anos na Casa Branca foram as horas e horas que ela passou montando álbuns de fotos copiosos e detalhados.

    A ex-assessora diz que centenas – talvez milhares de fotos de seu tempo na Casa Branca – foram analisadas, categorizadas e meticulosamente colocadas em álbuns, cuja manutenção é um hobby de longa data da ex-primeira-dama.

    Melania apelidou Ivanka Trump de “a princesa”

    De acordo com o livro de Grisham, não há amor entre Melania Trump e Ivanka Trump, as duas mulheres mais importantes na vida de Donald.

    Enquanto a divergência era mantida longe dos olhos do público, Grisham escreve que, nos bastidores, havia tensão entre as duas, muitas vezes devido ao desejo de Ivanka de estar no centro das atenções em eventos públicos e em viagens ao exterior.

    Grisham escreve que, assim que tomou conhecimento do relacionamento delicado, Melania contou-lhe o apelido de Ivanka era “a princesa”.

    A autora, por sua vez, disse à ex-primeira-dama o apelido que muitos funcionários da Casa Branca deram a Ivanka Trump e seu marido, Jared Kushner: “os estagiários”.

    A ira de Melania sobre sua enteada costumava explodir durante viagens ao exterior, escreve Grisham, principalmente porque a ex-primeira-dama era uma estudante dos protocolos e uma defensora de seguir as tradições em cada país, que eram reservadas apenas para um presidente e um primeiro cônjuge – não a filha de um presidente e seu marido.

    Em particular, quando Ivanka Trump quis se intrometer na visita de Trump à Rainha da Inglaterra no Palácio de Buckingham, de acordo com Grisham, Melania “bateu o pé” e insistiu que Ivanka e Jared não estivessem no centro das atenções.

    Em vez disso, os dois foram fotografados observando das janelas do Palácio de Buckingham enquanto Melania ria e cortejava a Rainha Elizabeth II e Camilla, a Duquesa da Cornualha.

    Melania ficou furiosa com os supostos casos extraconjugais de Trump

    Embora a CNN tenha relatado na época, a Casa Branca nunca confirmou oficialmente que Melania Trump fez uma carreata separada de seu marido para um discurso de 2018 e para a Base Conjunta Andrews para uma viagem porque estava com raiva sobre o suposto comportamento de Donald Trump em relação às acusações de infidelidade da atriz pornô Stormy Daniels e da ex-modelo da Playboy Karen MacDougal.

    Em seu livro, Grisham escreve que Melania Trump estava realmente chateada e que sua raiva a levou a se distanciar publicamente de seu marido. Melania não gostava de ser vista como uma esposa política, que tentava salvar o marido de manchetes prejudiciais. De acordo com Grisham, o que acontecia era exatamente o contrário.

    “Eu senti que a Sra. Trump estava envergonhada e que ela queria que ele se sentisse envergonhado também. Se ele é capaz disso ou não, eu não sei”, escreve Grisham sobre o episódio envolvendo Stormy Daniels, que ela diz ter feito Melanie ganhar mais coragem e ser mais assertiva.

    “Recebi um telefonema dela para me informar que queria se dirigir para o [avião] da Força Aérea antes de seu marido. Ela me surpreendeu, dizendo: ‘Eu não quero ser como Hillary Clinton, você entende o que quero dizer? Ela caminhou até o Marine One de mãos dadas com o marido após a notícia de Monica e não parecia bom’, referindo-se a Monica Lewinsky. E eu não argumentei “, escreve Grisham, que ajudou a organizar a logística para facilitar o pedido de sua chefe.

    “A Sra. Trump ligou para me informar que queria que um de nossos auxiliares militares a acompanhasse por todo o Capitólio porque ‘o chão era muito escorregadio'”, escreve Grisham, que sentiu que o pedido era um estratagema para que Melanie pudesse ser visto com um homem jovem bonito e uniformizado – um visual que, provavelmente, irritaria seu marido. “Eu ri para mim mesma porque eu tinha visto a mulher andar em estradas de terra [sem necessidade de ajuda].”

    Melania Trump usa jaqueta com inscrição "I Really Don't Care, Do U?"
    A ex-primeira-dama Melania Trump usa jaqueta com inscrição “I Really Don’t Care, Do U?” (“eu realmente não me importo, e você?”) / Foto: Chip Somodevilla/Getty Images (21.jun.2018)

    ‘Eu realmente não me importo. E você?’: Melania e sua polêmica jaqueta

    Grisham passa um bom tempo – um capítulo inteiro em seu livro – decifrando o incidente com “a jaqueta”, a infame vestimenta verde estampada nas costas com as palavras “Eu realmente não me importo. E você?” que Melania Trump usou para visitar um centro de acolhimento de imigrantes no Texas.

    Em suma, Grisham realmente não explica por que a ex-primeira-dama escolheu usar a jaqueta na viagem para o Texas, escrevendo que estava tão no escuro quanto todo mundo sobre a decisão.

    No entanto, Grisham diz que não achou que Melania Trump compreendeu – ou se importou – com as imensas críticas que recebeu por usar uma jaqueta com uma mensagem tão grosseiramente insensível enquanto aparecia em uma causa tão profundamente preocupante para o país na época.

    Grisham diz que assim que as imagens da jaqueta chegaram à imprensa, enquanto a primeira-dama voltava do Texas para Washington, ela e Melania se amontoaram em sua cabine particular no avião, tentando encontrar uma maneira de desviar a atenção da mídia.

    A autora escreve em um ponto da conversa que Melania Trump sugeriu colocar um círculo com uma linha sobre a parte “não” da mensagem na capa – transformando-a ostensivamente na mensagem “Eu realmente me importo” – e então alegando que a imprensa tinha lido errado. Grisham a dissuadiu dessa ideia.

    Quando a então primeira-dama e Grisham voltaram à Casa Branca, Trump estava claramente irritado com a situação. “O chefe estava de mau humor, o que é claro que eu apreciei”, escreve Grisham sobre ser chamada à sala de jantar privada do presidente na ala oeste, onde ele já estava.

    “Ele olhou para sua esposa e depois para nós com aborrecimento. As primeiras palavras que saíram da boca do presidente foram ‘O que diabos você estava pensando?'”

    Grisham escreveu: “Para minha surpresa, a Sra. Trump se sentou na cadeira ao lado dele à direita, ainda usando aquela maldita jaqueta, e sorriu.”

    (Este texto é uma tradução. Para ler o original, em inglês, clique aqui)

    Mais Recentes da CNN