Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Milei critica Massa e diz que terror é ter 45% de pobres na Argentina

    Candidato da oposição também criticou a atuação de brasileiros na campanha de Sergio Massa

    Javier Milei enfrente o candidato do governo, Sergio Massa, no segundo turno das eleições argentinas
    Javier Milei enfrente o candidato do governo, Sergio Massa, no segundo turno das eleições argentinas Agustin Marcarian - Pool/Getty Images

    Flávio Ismerimda CNN

    São Paulo

    Javier Milei, que concorre à Presidência da Argentina pelo La Libertad Avanza, criticou seu opositor, o ministro da Economia e candidato pelo Unión por la Patria, Sergio Massa, por usar o medo para se promover na campanha.

    Durante um discurso feito na cidade de Rosário, que fica a 300 km da capital Buenos Aires, na terça-feira (14), Milei defendeu que o que aterroriza os argentinos são os índices de pobreza provocados pela crise econômica que assola o país.

    “Com 45% de pobres, 10% de indigentes, de que medo eles falam? Isso é que o verdadeiro terror. Por isso que eu digo: não se deixem levar pelo medo, não deem lugar ao medo”, afirmou o candidato da oposição.

    Ele voltou a criticar o que chama de “casta política” e afirmou que Sergio Massa não representa uma ruptura ao sistema político que possa mudar a situação no país.

    “Tenha claro que se você deixar o medo te paralisa. E se vocês se paralisam, vence a maldita casta política”, disse. “Esse domingo o que teremos que decidir é se queremos o populismo ou a República. Temos que saber que é impossível termos resultados diferentes fazendo as mesmas coisas dos últimos cem anos”, afirmou o candidato do La Libertad Avanza.

    Críticas a Lula

    Durante o discurso, Milei acusou Massa de ir contra suas ideias nacionalistas ao contratar brasileiros para atuar em sua campanha.

    “[Massa] tem que economizar aquele maldito dinheiro que foi gasto com aqueles malditos brasileiros que vieram fazer uma campanha suja paga por Lula. Ele nos fala de indústria nacional e contrata brasileiros para contaminar a campanha argentina”, afirmou.

    Uma equipe de marqueteiros do Brasil foi escalada por Massa para trabalhar em sua campanha.

    A fala de Milei também vem no mesmo dia em que Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou que a Argentina precisa de um presidente que goste da democracia e do Mercosul.

    Ao comentar as eleições, Lula pediu que “lembrem que o Brasil precisa da Argentina e que a Argentina precisa do Brasil, dos empregos que o Brasil gera na Argentina e dos empregos que a Argentina gera no Brasil, do fluxo comercial entre os dois países e do quanto nós podemos crescer juntos”.

    “Para isso, é preciso ter um presidente que goste de democracia, que respeite as instituições, que goste do Mercosul, que goste da América do Sul”, completou.

    A CNN entrou em contato com o presidente Lula, que até o momento não se pronunciou sobre a fala de Milei.

    Veja também: Eleição na Argentina entra na reta final