Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ministério da Defesa russo diz que tomou controle de partes de Mariupol

    Autoridades ucranianas acusaram Rússia de mais uma vez impedir retirada de civis da cidade portuária no sul do país

    Tanques russos entram em Mariupol, na Ucrânia
    Tanques russos entram em Mariupol, na Ucrânia Carlos Barria/Reuters

    Da Reuters

    Ouvir notícia

    A Rússia alegou, nesta quinta-feira (10), que tomou controle de partes da cidade ucraniana de Mariupol – uma das que mais sofrem com a crise humanitária deflagrada pela guerra na Ucrânia.

    Em um pronunciamento em vídeo divulgado nesta quinta-feira (10), o ministro da Defesa da Rússia, Igor Konashenkov, afirmou que 2.911 instalações militares na Ucrânia foram destruídas durante o que os russos chamam de “operação militar especial”.

    Entre os alvos, estariam 97 aeronaves, 107 veículos aéreos não tripulados, 141 sistemas antiaéreos de defesa antimísseis, 86 postos de radar, 986 tanques e outros veículos blindados, 107 sistemas de foguetes de lançamento múltiplo, 368 morteiros e 749 veículos militares especiais.

    O ministro também afirmou que “a operação para libertar a cidade de Mariupol dos nacionalistas continua”. Ele alegou que foram tomados pelas forças separatistas de Donetsk os distritos de Azovskyy, Naidonivka, Lyapino e Vynohrady no leste da cidade.

    A Reuters não conseguiu verificar de forma independente as afirmações feitas pelo governo russo.

    Corredor humanitário

     

    Autoridades da cidade de Mariupol, no sul ucraniano, dizem que as forças russas começaram a lançar bombas em uma região chamada de “corredor verde”, designado para retirar os moradores da cidade.

    “Neste momento, o bombardeio aéreo de Mariupol está em andamento”, disse Petro Andryushchenko, assessor do prefeito de Mariupol.

    O representante da prefeitura ainda afirmou que os ataques aéreos estavam sendo realizados para destruir a infraestrutura rodoviária e isolar completamente a cidade. Até o momento, não há declarações sobre a alegação ucraniana. Na quarta-feira (9), o Ministério da Defesa russo afirmou que suas forças avançaram em vários distritos ao redor de Mariupol.

    Nesta quinta-feira (10) Ucrânia abriu sete corredores humanitários para que civis deixem cidades sitiadas por forças russas, incluindo a cidade Mariupol, Sumy, no nordeste do país, Krasnopillya e  Trostyanets.

    Mais Recentes da CNN