Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ministro israelense diz que 60% dos combatentes do Hamas foram mortos ou feridos

    Yoav Gallant se reúne com autoridade dos EUA para negociar termos de proposta de cessar-fogo

    Ministro da Defesa de Israel, Yoav Gallant, discursa no parlamento
    Ministro da Defesa de Israel, Yoav Gallant, discursa no parlamento Knesset via Reuters

    Da Reuters

    O ministro da Defesa de Israel, Yoav Gallant, afirmou nesta quarta-feira (10) que 60% dos combatentes do grupo militante palestino Hamas foram mortos ou feridos como resultado da ofensiva militar de Israel em Gaza.

    Falando no Parlamento israelense, ele também disse que Israel havia desmantelado a maioria dos 24 batalhões que a ala militar do Hamas tinha no início da guerra.

    A afirmação ocorre em meio às negociações por um acordo de cessar-fogo mediado por Egito, Catar e Estados Unidos. E também durante uma renovada onda de incursões das Forças de Defesa de Israel a diferentes cidades do enclave palestino — levando ao aumento do número de deslocamentos forçados na região, que já chega há quase dois milhões de palestinos.

     

    Ainda sobre um possível acordo de cessar-fogo, o Ministério da Defesa afirmou que Gallant se reuniu com o enviado dos EUA para o Oriente Médio, Brett McGurk, e que Israel e os Estados Unidos concordam sobre a importância de aproveitar a oportunidade para concluir as negociações.

    “Os dois discutiram a importância de aproveitar a oportunidade criada para chegar a um acordo para o retorno dos reféns detidos pelo Hamas em Gaza”, disse o ministério num comunicado sobre a reunião, que disse ter ocorrido na noite de terça-feira (9).

    “Eles discutiram os desafios que permanecem para alcançar tal acordo, bem como possíveis soluções para enfrentá-los”, afirmou.

    Gallant também disse que Israel apoia a abertura da passagem de Rafah, entre o Egito e Gaza, mas não tolerará o retorno do Hamas à área, disse o comunicado do ministério.