Nasa diz que astronauta americano vai retornar de estação espacial em foguete russo

Apesar de crescentes tensões geopolíticas, agências espaciais americana e russa mantém colaboração operacional

Mark Vande Hei a bordo da Espação Espacial Internacional
Mark Vande Hei a bordo da Espação Espacial Internacional Nasa

Jackie Wattlesda CNN

Ouvir notícia

A Nasa informou nesta segunda-feira (14) que o astronauta Mark Vande Hei retornará da Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês) no fim deste mês a bordo de uma espaçonave russa Soyuz, conforme planejado anteriormente.

A agência espacial procurou reafirmar que ainda está trabalhando em estreita colaboração com a agência espacial russa Rocosmos na ISS, apesar das crescentes tensões geopolíticas.

Vande Hei, que partiu para a Estação em abril de 2021, está programado para fazer sua viagem de volta em 30 de março. O astronauta pousará a bordo da espaçonave russa Soyuz no Cazaquistão, como de costume.

Funcionários da Nasa não informaram de nenhuma mudança significativa nos planos para levar Vande Hei de volta aos Estados Unidos depois do pouso. Ele viajará para casa em um jato Gulfstream, como outros astronautas americanos antes dele.

Por quase uma década, os foguetes russo Soyuz foram o único meio de levar astronautas de e para a estação espacial. Mas essa dependência terminou depois que a SpaceX estreou sua cápsula Crew Dragon em 2020, e os Estados Unidos recuperaram as capacidades de voos espaciais tripulados.

Os EUA ainda compram assentos em veículos russos para astronautas da Nasa, no entanto, e há acordos provisórios para astronautas americanos viajarem em veículos russos Soyuz e para cosmonautas russos voarem com a SpaceX no futuro.

As operações conjuntas entre a Nasa e a Roscosmos nas instalações russas em Baikonur, no Cazaquistão, “continuam indo bem”, disse Joel Montalbano, gerente do programa da Estação Espacial Internacional da agência americana. “Posso dizer com certeza que Mark [Vande Hei] está voltando para casa” na espaçonave russa Soyuz.

Os comentários de Montalbano ocorrem após o chefe da Roscosmos, Dmitry Rogozin, fazer várias postagens nas redes sociais direcionadas aos Estados Unidos, incluindo um vídeo editado que parecia ameaçar que os astronautas russos abandonassem Vande Hei no espaço. Rogozin é conhecido há muito tempo por compartilhar declarações estranhas nas redes.

Em meio à invasão da Ucrânia pela Rússia e as subsequentes sanções dos Estados Unidos e seus aliados, Rogozin também impediu o lançamento de satélites de telecomunicações da startup britânica OneWeb. O chefe da agência russa também se comprometeu a não vender mais motores de foguete de fabricação russa para empresas americanas.

Apesar das crescentes tensões, a Nasa tenta demonstrar que, nos bastidores, EUA e Rússia continuam trabalhando juntos nas operações da ISS. E esse trabalho é crucial para manter a estação funcionando. Montalbano disse que a “estação espacial foi projetada para ser interdependente”.

“Cada um dos parceiros tem capacidades diferentes que trazem, e juntos trabalhamos”, disse ele. “Não é um processo em que um grupo pode se separar do outro. Precisamos de tudo junto para ter sucesso”.

Quando Kristin Fisher, da CNN, perguntou se a Nasa tem planos de contingência para o caso de a relação com a Roscosmos se deteriorar, Montalbano disse:  “Neste momento, não há indicação de que nossos parceiros russos queiram fazer algo diferente”, disse ele. “Então, estamos planejando continuar as operações como hoje”.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN