Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Netanyahu diz ser contra retorno da Autoridade Palestina para Gaza após fim da guerra

    Secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, sugeriu que a Autoridade Palestina poderia desempenhar um papel no futuro de Gaza se o Hamas for eliminado

    Primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu: "Gaza está cercada"
    Primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu: "Gaza está cercada" 28/10/2023 ABIR SULTAN/Pool via REUTERS

    Tamar MichaelisJonny Hallamda CNN

    O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, diz que se opõe a um papel ativo do atual governo da Autoridade Palestina em Gaza quando a guerra entre Israel e o Hamas terminar.

    Em resposta a uma questão sobre se a Autoridade Palestina, que tem controle administrativo parcial na Cisjordânia ocupada, poderá governar Gaza depois da guerra, Netanyahu disse: “Haverá controle de segurança total [em Gaza], com as Forças de Defesa de Israel tendo capacidade de entrar quando quiser, para matar terroristas que podem reaparecer. Posso dizer o que não acontecerá: não haverá Hamas.”

    “Além disso, não haverá lá uma autoridade civil que eduque os seus filhos a odiar Israel, a matar israelenses, a eliminar o Estado de Israel”, disse ele.

    Israel está em guerra com o Hamas, o grupo radical palestino que controla Gaza e realizou ataques terroristas devastadores em Israel em 7 de outubro.

    A Autoridade Palestina é um órgão governamental separado, que opera na Cisjordânia. Foi estabelecido nos Acordos de Oslo de 1993, em um pacto de paz entre Israel e a Organização para a Libertação da Palestina (OLP), que viu a OLP desistir da resistência armada contra Israel em troca de promessas de um Estado palestino independente.

    O Hamas – que é designado como organização terrorista pelos EUA e pela União Europeia – apresenta-se como uma alternativa à Autoridade Palestina, que reconheceu Israel e se envolveu em múltiplas iniciativas de paz falhadas com ele.

    O Secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, falou sobre a necessidade de se concentrar no “dia da” e no “dia seguinte” ao fim da guerra em Gaza, e sugeriu que a Autoridade Palestina poderia desempenhar um papel no futuro de Gaza se o Hamas for eliminado.

    “Em algum momento, o que faria mais sentido seria que uma Autoridade Palestina eficaz e revitalizada tivesse a governança e, em última análise, a responsabilidade pela segurança de Gaza”, disse ele numa recente audiência no Congresso.

    Veja também: Passagem de Rafah deve reabrir no domingo (12) para estrangeiros

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original