Noiva de jornalista assassinado pede que Bieber cancele show na Arábia Saudita

'Esta é uma oportunidade única de enviar uma mensagem poderosa ao mundo de que seu nome e seu talento não serão usados para restaurar a reputação de um regime que mata seus críticos', disse Hatice Cengiz

Justin Bieber durante show em Las Vegas - 22/05/2016
Justin Bieber durante show em Las Vegas - 22/05/2016 Foto: Mario Anzuoni/Reuters

Ramishah Marufdo CNN Business

Nova York

Ouvir notícia

A noiva do jornalista assassinado Jamal Khashoggi escreveu uma carta aberta publicada pelo Washington Post pedindo que Justin Bieber cancelasse seu próximo show na Arábia Saudita.

“É por isso que estou escrevendo para você com um apelo: cancele sua apresentação de 5 de dezembro na Arábia Saudita”, escreveu Hatice Cengiz no sábado (20).

Esta é uma oportunidade única de enviar uma mensagem poderosa ao mundo de que seu nome e talento não serão usados ​​para restaurar a reputação de um regime que mata seus críticos.

Hatice Cengiz, esposa do jornalista Jamal Khashoggi

Bieber deve ser a atração principal na corrida de Fórmula 1 da Arábia Saudita em dezembro, acompanhado por artistas como A$AP Rocky, David Guetta e Jason Derulo no Grande Prêmio de Jeddah.

Cengiz pediu a Bieber para lembrar que ele está se apresentando a convite do próprio príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman.

“Nada de significativo acontece na Arábia Saudita sem o seu consentimento, e certamente não um evento tão importante e chamativo como este”, escreveu Cengiz. “Seu rosto está até mesmo em destaque no site do evento com o dele – o carrasco do meu noivo, Jamal.”

Em 2018, uma equipe de agentes do governo do reino assassinou o jornalista no consulado saudita em Istambul, onde ele iria buscar os documentos de seu casamento com Cengiz.

Um relatório da inteligência dos EUA concluiu que o príncipe herdeiro aprovou a operação, mas o Ministério das Relações Exteriores saudita divulgou um comunicado dizendo que “rejeita completamente a avaliação negativa, falsa e inaceitável do relatório referente à liderança do Reino”.

Cengiz não é o único a criticar a corrida da F1.

“Organismos esportivos como a Fórmula 1 e a FIA não podem ignorar o fato de que eles e os fãs estão sendo usados ​​para a lavagem esportiva”, disse Minky Worden, diretor da Human Rights Watch que supervisiona o esporte, ao The Guardian.

Em 2019, Nicki Minaj cancelou um show na Arábia Saudita, dizendo que deseja deixar claro seu apoio aos “direitos das mulheres, da comunidade LGBTQ e da liberdade de expressão”. Justin Bieber ainda não comentou o assunto.

“Se você se recusar a ser um peão de Mohammed bin Salman, sua mensagem será alta e clara: eu não atuo para ditadores”, escreveu Cengiz. “Eu escolho justiça e liberdade ao invés de dinheiro”.

Texto traduzido. Leia o original em inglês.

Mais Recentes da CNN