Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Normalmente seca, Dubai tem equivalente a um ano de chuva e fica debaixo d’água

    Foram registrados cerca de 100 milímetros de água e inundação tomou conta das ruas, casas, empresas e do aeroporto internacional, que teve seus voos atrasados ou cancelados

    Mary GilbertBrandon Millerda CNN*

    Choveu o equivalente a um ano em Dubai e imensas inundações repentinas foram desencadeadas na terça-feira (16), à medida que as ruas se transformavam em rios e a água corrente inundava casas e empresas.

    Um vídeo chocante mostrou a pista do Aeroporto Internacional de Dubai – recentemente coroado o segundo aeroporto mais movimentado do mundo – submersa enquanto enormes aeronaves tentavam navegar pelas águas da enchente.

    Os grandes jatos pareciam barcos se movendo pelo aeroporto inundado enquanto a água espirrava em seu rastro e formando ondas nas áreas de águas profundas.

    A interrupção das operações aeroportuárias continuou até quarta-feira (17), com estradas de acesso bloqueadas por inundações e várias companhias aéreas, incluindo a transportadora aérea Emirates, relatando atrasos nos voos.

    A companhia aérea “low cost” Flydubai cancelou todos os voos até as 10h, horário local, da quarta-feira.

    A Emirates está suspendendo o check-in para passageiros que partem de Dubai das 8h, horário local, de quarta-feira, até a meia-noite de quinta-feira (18), devido a “desafios operacionais causados pelo mau tempo e pelas condições das estradas”.

    O Aeroporto Internacional de Dubai também aconselhou as pessoas a “NÃO virem ao aeroporto, a menos que seja absolutamente necessário” e disse que “os voos continuam atrasados e desviados”.

    A companhia aérea disse que os passageiros que já estavam em trânsito continuarão a chegar, mas alertou que os clientes podem esperar atrasos nas partidas e chegadas.

    Um passageiro retido disse à CNN que passou a noite no aeroporto com centenas de outras pessoas depois de chegar de Hong Kong na noite de terça-feira porque não havia opções de transporte fora do terminal.

    Passageiros presos no aeroporto de Dubai enquanto voos são cancelados por causa das fortes chuvas que atingem os Emirados Árabes Unidos, em 17 de abril de 2024
    Passageiros presos no aeroporto de Dubai enquanto voos são cancelados por causa das fortes chuvas que atingem os Emirados Árabes Unidos, em 17 de abril de 2024 / Reuters

    “O aeroporto está literalmente lotado e não há para onde ir”, disse Bilal, 25 anos, que só quis ser identificado pelo primeiro nome.

    Quase 100 milímetros de chuva caíram em apenas 12 horas na terça-feira, de acordo com observações meteorológicas no aeroporto – cerca do que Dubai costuma registrar em um ano inteiro, de acordo com dados das Nações Unidas.

    A chuva caiu tão forte e tão rapidamente que alguns motoristas foram forçados a abandonar os seus veículos quando as águas das enchentes aumentaram e as estradas se transformaram em rios.

    Um vídeo nas redes sociais mostrou água correndo por um grande shopping e inundando o andar térreo de casas.

    Tal como o resto dos Emirados Árabes Unidos, Dubai tem um clima quente e seco. Como tal, as chuvas são pouco frequentes e em muitas áreas as infraestruturas, como a drenagem, são limitadas para lidar com eventos extremos.

    Quando a chuva caiu na terça-feira, choveu realmente. Eventos de chuvas torrenciais como este se tornarão mais frequentes devido às mudanças climáticas provocadas pelo homem.

    À medida que a atmosfera continua aquecendo, ela é capaz de absorver mais umidade como uma toalha e depois expulsá-la na forma de jatos mais extremos de chuvas torrenciais.

    A chuva que inundou Dubai está associada a um sistema de tempestades maior que atravessa a Península Arábica e o Golfo de Omã. Esse mesmo sistema também está trazendo um clima excepcionalmente úmido para a vizinha Omã e o sudeste do Irã.

    A chuva deve diminuir na região, mas ainda pode persistir na quarta-feira, antes que o tempo seco retorne.

    *Com informações de Teele Rebane e Kathleen Magramo, da CNN.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original