Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Número de casos de Covid-19 na África aumentou 80% na última semana, aponta OMS

    Lideradas pelos Estados Unidos e Brasil, as Américas também registraram alta de novas infecções

    Homem é vacinado contra a Covid-19 na África do Sul
    Homem é vacinado contra a Covid-19 na África do Sul Reuters

    Henrique Andradeda CNN

    São Paulo

    Local do surgimento da nova variante do coronavírus, a Ômicron, a África registrou um aumento de 80% de casos de Covid-19, aponta relatório divulgado nesta quarta-feira (8) pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

    Entretanto, o número de mortes no continente, durante o memso periodo, caiu 13%. No total, foram contabilizadas 79.491 novas infecções, e 498 óbitos.

    Cientistas ainda buscam compreender como as diversas mutações da nova cepa alteram a sua infectividade e letalidade. Estudo divulgado por cientistas da África do Sul nesta terça-feira (7) mostrou que a vacina da Pfizer protege apenas parcialmente contra infecção pela nova variante.

    Alex Sigal, responsável por liderar a pesquisa, disse à CNN, que aqueles que já foram infectados e depois imunizados apresentaram melhor proteção contra a Ômicron. O estudo foi realizado em menor escala e ainda não foi revisado por pares.

    Outro local que também apresentou alta no número de casos de Covid-19 na última semana foi a região das Américas, com aumento de 21% em comparação com os sete dias anteriores. A região tem o maior número de infecções em todo o mundo, com mais de 97 milhões de casos acumulados desde o início da pandemia.

    A alta de mortes também preocupa nas Américas, com 12.987 contabilizadas na última semana, 38% a mais do que os sete dias anteriores.

    Enfrentando sua quarta onda da pandemia, a Europa registrou a maior incidência de novos casos de Covid-19, com 288 a cada 100 mil habitantes.

    Segundo a OMS, o número de casos do novo coronavírus em todo o mundo segue estável, com aumento de apenas 2% na semana anterior, enquanto a quantidade de óbitos subiu 10%. No total, já são 264 milhões de infecções desde o início da pandemia, e 5,2 milhões de mortes.

    Com informações de Maggie Fox, da CNN