União Africana pede fim das restrições de viagens contra países africanos

Segundo a instituição, medida penaliza os países por compatilharem dados sobre a pandemia

John Nkengasong, diretor do Centro de Controle de Doenças da União Africana, durante entrevista coletiva em Addis-Abeba, na Etiópia
John Nkengasong, diretor do Centro de Controle de Doenças da União Africana, durante entrevista coletiva em Addis-Abeba, na Etiópia 28/01/2020 REUTERS/Tiksa Negeri

Maggie Fickda Reuters

Ouvir notícia

A União Africana (UA) pediu nesta terça-feira (7) o fim urgente das restrições de viagem impostas a alguns de seus estados membros, alegando que as medidas penalizam os governos que compartilham dados em tempo hábil e seguindo as regulamentações internacionais de saúde.

As medidas atuam “como um desincentivo para o compartilhamento de informações no futuro, potencialmente representando uma ameaça à segurança da saúde no continente e globalmente”, disse a UA em um comunicado.

No final do mês passado, Estados Unidos, Grã-Bretanha, países da União Europeia, além de outras nações como Israel impuseram restrições às viagens em sete países da África. A decisão foi tomada depois que alguns países relataram vários casos da variante Ômicron, que é considerada altamente infecciosa.

Mais Recentes da CNN