Otan: Rússia precisa colaborar em inquérito de envenenamento de Navalny

Alexei Navalny é o oponente mais popular e proeminente de Vladimir Putin

Líder opositor Alexei Navalny discursa em Moscou
Líder opositor Alexei Navalny discursa em Moscou Foto: Shamil Zhumatov - 29.set.2019 / Reuters

Reuters

Ouvir notícia

Aliados da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) concordaram nesta sexta-feira (4) que a Rússia precisa cooperar totalmente com uma investigação imparcial sobre o envenenamento do líder opositor Alexei Navalny, a ser realizada pela Organização para a Proibição de Armas Químicas (Opaq), disse o chefe da aliança.

A Alemanha, onde Navalny está hospitalizado, disse que ele foi envenenado com o agente químico nervoso novichok.

Até agora, Moscou não iniciou uma investigação criminal e disse ainda não haver indícios de um crime.

Assista e leia também:
Envenenamento de opositor de Putin gera questões que podem ficar sem respostas
Possível envenenamento de opositor de Putin ‘era para matar’, diz ativista
Alemanha confirma envenenamento de opositor de Putin por agente químico

“Qualquer uso de armas químicas mostra um desrespeito total por vidas humanas, e é uma violação inaceitável das normas e regras internacionais”, afirmou o secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, em uma entrevista coletiva.

“Nossos aliados concordam que agora a Rússia tem perguntas sérias a responder. O governo russo precisa cooperar plenamente com a Organização para a Proibição de Armas Químicas em uma investigação internacional imparcial”, disse ele ao comentar uma reunião com embaixadores da aliança.

Navalny é o oponente mais popular e proeminente do presidente russo, Vladimir Putin, e o anúncio alemão desta semana – de que ele foi envenenado com um agente nervoso – criou a possibilidade de mais sanções ocidentais contra Moscou.

Stoltenberg disse que os aliados da Otan pediram a Moscou uma divulgação completa de seu programa do novichok à Opaq.

“Aqueles responsáveis pelo ataque precisam ser responsabilizados e levados à Justiça. Uma vez após outra vimos líderes da oposição e críticos do regime russo serem atacados e suas vidas serem ameaçadas. Alguns até foram mortos”, disse ele.

Descrevendo o caso Navalny como “um ataque contra direitos democráticos fundamentais” e também contra um indivíduo, Stoltenberg disse que os aliados da Otan continuarão a se consultar a respeito do incidente e “considerar as implicações”.

Mais Recentes da CNN