Pandemia reduz mais expectativa de negros e latinos do que brancos nos EUA

Entre negros e latinos, a redução da expectativa de vidaserá três a quatro vezes maior do que a dos brancos, segundo pesquisa

Médico Ashley Ferrel e fisioterapeuta Karen Miller cuidam de paciente da Covid-19 em UTI de hospital em Chicago, nos EUA
Médico Ashley Ferrel e fisioterapeuta Karen Miller cuidam de paciente da Covid-19 em UTI de hospital em Chicago, nos EUA Foto: REUTERS/Shannon Stapleton

Maggie Fox,

da CNN

Ouvir notícia

A pandemia do novo coronavírus deve reduzir em mais de um ano a expectativa de vida média nos Estados Unidos. Entre negros e latinos, a redução será três a quatro vezes maior do que a dos brancos, segundo pesquisa publicada na quinta-feira (14).

A pandemia terá um impacto maior na expectativa de vida dos Estados Unidos que uma recente epidemia de overdose de drogas que causou uma queda surpreendente de dois anos na expectativa após décadas de melhorias constantes, disseram os pesquisadores.

“Projetamos que a Covid-19 reduzirá a expectativa de vida nos EUA em 2020 em 1,13 anos”, escreveu Theresa Andrasfay, da Universidade de Southern California, e Noreen Goldman, do Escritório de Pesquisa de População da Universidade de Princeton, na revista “Proceedings of the National Academy of Sciences”.

 

“As reduções estimadas para as populações negra e latina são três a quatro vezes maiores do que as dos brancos. Consequentemente, espera-se que a Covid-19 reverta mais de 10 anos de progresso feito no fechamento da lacuna entre negros e brancos na expectativa de vida e reduza a vantagem anterior de mortalidade latina em mais de 70%”, acrescentaram.

O efeito pode durar vários anos. “Alguma redução na expectativa de vida pode persistir além de 2020 por causa da contínua mortalidade por Covid-19 e dos impactos de longo prazo da pandemia na saúde e nos aspectos sociais e econômicos”, escreveram eles.

Os pesquisadores usaram dados do Census Bureau e aqueles sobre mortes reais e projetadas pela pandemia do Instituto de Métricas e Avaliação de Saúde da Universidade de Washington e do Centro Nacional de Estatísticas de Saúde, com diferentes modelos estatísticos para taxas de mortalidade. 

 

“Nossa estimativa média indica uma redução na expectativa de vida nos Estados Unidos de 1,13 anos a menos do que em qualquer ano desde 2003, chegando a 77,48 anos”, escreveram.

“Estima-se que as populações negra e latina experimentem declínios na expectativa de vida ao nascer de 2,10 e 3,05 anos, respectivamente, sendo que ambas são várias vezes a redução de 0,68 anos para os brancos. Essas projeções implicam em um aumento de quase 40% na lacuna de expectativa de vida dos negros e brancos, de 3,6 anos para mais de 5 anos, eliminando os avanços na redução desse diferencial desde 2006”, acrescentaram.

O impacto é cerca de 10 vezes maior que as preocupantes reduções anuais há vários anos, que foram atribuídas em grande parte a overdoses de drogas, outras causas externas e doenças respiratórias e cardiovasculares”

 

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês).

Mais Recentes da CNN