Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Papa diz que reunião de junho com líder ortodoxo russo está cancelada

    Diplomatas do Vaticano aconselharam ao papa que tal reunião poderia gerar muita confusão neste momento

    Papa Francisco durante celebração no Vaticano
    Papa Francisco durante celebração no Vaticano Vatican Pool - Corbis/Getty Images

    Philip Pullellada Reuters

    O papa Francisco disse que desistiu de se reunir em junho com o patriarca ortodoxo russo Kirill, um aliado do presidente russo, Vladimir Putin, que apoia a guerra de Moscou na Ucrânia.

    Francisco, que várias vezes criticou implicitamente a Rússia e Putin sobre a guerra, afirmou ao jornal argentino La Nación em uma entrevista que lamentava que o plano tivesse que ser “suspenso” porque diplomatas do Vaticano aconselharam que tal reunião “poderia gerar muita confusão neste momento”.

    Em Moscou, o metropolita Hilarion, uma autoridade graduada da Igreja Ortodoxa Russa, disse, segundo a agência de notícias RIA, que a reunião foi adiada porque “os eventos dos últimos dois meses” teriam criado muitas dificuldades em sua preparação.

    A Reuters informou em 11 de abril que o Vaticano estava considerando estender a viagem do papa ao Líbano de 12 a 13 de junho por um dia para que ele pudesse se encontrar com Kirill em 14 de junho em Jerusalém.

    Kirill, de 75 anos, deu sua bênção total à invasão da Ucrânia pela Rússia desde que ela começou em 24 de fevereiro, uma posição que fragmentou a Igreja Ortodoxa mundial e desencadeou uma rebelião interna que teólogos e acadêmicos dizem ser sem precedentes.

    Francisco, de 85 anos, tem usado termos como agressão injustificada e invasão em seus comentários públicos sobre a guerra e lamenta as atrocidades contra civis.

    Questionado na entrevista por que ele nunca nomeou a Rússia ou Putin especificamente, Francisco declarou: “Um papa nunca nomeia um chefe de Estado, muito menos um país, que é superior ao seu chefe de Estado”.