Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Por que o Irã atacou Israel e o que pode acontecer agora?

    Conflito no Oriente Médio vive nova fase após ofensiva iraniana na madrugada deste domingo (14)

    Rob Pichetada CNN

    À medida que os mísseis e drones iranianos voavam em direção a Israel, trouxeram consigo uma nova onda de tensão, incerteza e confronto no Oriente Médio.

    Por que o Irã atacou Israel? Israel e o Irã são rivais de longa data e estão envolvidos numa guerra paralela há anos.

    O Irã lançou seu ataque sem precedentes em resposta a um suposto ataque israelense ao consulado iraniano em Damasco, na Síria, no início deste mês.

    O ataque de Teerã teve como alvo a base aérea de Nevatim, disse um oficial do exército iraniano neste domingo (14), alegando que foi deste local que o ataque de Israel ao consulado iraniano foi lançado no início de abril.

    Como ocorreu o ataque?

    Mais de 300 projéteis – incluindo cerca de 170 drones e mais de 120 mísseis balísticos – foram disparados no imenso ataque aéreo.

    Destes, “99%” foram interceptados pelos sistemas de defesa aérea de Israel e dos seus aliados, de acordo com os militares israelenses, com apenas um pequeno número chegando ao território israelense.

    O que pode acontecer agora?

    As decisões tomadas pelo Gabinete de Guerra de Israel ditarão os próximos passos imediatos. Um dos membros, Benny Gantz, disse que Israel “exigirá um preço do Irã da maneira e no momento que nos for conveniente”.

    A linha dura do governo israelense pediu uma ação firme. O Ministro das Finanças, Bezalel Smotrich, apelou a uma resposta que “ressoasse em todo o Oriente Médio”, e o Ministro da Segurança Nacional, Itamar Ben Gvir, disse que Israel deveria “enlouquecer”.

    Mas o Irã afirmou que foi aberta uma “nova equação” na sua relação adversa com Israel e alertou para um ataque “muito maior” ao país caso o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, decida um ataque retaliatório.

    “Decidimos criar uma nova equação, que é a de que se a partir de agora o regime sionista atacar os nossos interesses, bens, personalidades e cidadãos, em qualquer lugar e a qualquer momento, iremos retaliar contra eles”, disse o Comandante do Grupo Revolucionário Islâmico Corpo de Guardas (IRGC, na sigla em inglês), Hossein Salami, disse à TV estatal iraniana.

    O “regime sionista” é um termo que o Irã usa para se referir a Israel.