Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Presidente do Egito nega ter culpa por atrasos na ajuda a Gaza

    Abdel Fattah El-Sisi afirmou que Israel é responsável por problemas que atrasam entrada de suprimentos aos palestinos atingidos pela guerra

    Presidente do Egito Abdel Fattah al-Sisi na COP28 em Dubai
    Presidente do Egito Abdel Fattah al-Sisi na COP28 em Dubai 1/12/2023 REUTERS/Thaier Al Sudani

    Hamdi Alkhshalida CNN

    O presidente do Egito, Abdel Fattah El-Sisi, rejeitou nesta quarta-feira (24) alegações de que o Egito está atrasando a entrega de ajuda humanitária à Faixa de Gaza. Em vez disso, ele apontou o dedo para Israel, acusando o país de pressionar a população civil para garantir a libertação de prisioneiros em Gaza.

    “Se eu sou a razão para não deixar um pedaço de pão entrar em Gaza, como eu poderia enfrentar Deus? Não, eu juro. A travessia de Rafah no Egito está aberta 24/7 todos os dias do mês. Mas os procedimentos que ocorrem do lado israelense para que enviemos a ajuda sem que seja bloqueada por ninguém, são a razão (para atrasos)”, disse Sisi.

    Sisi afirmou que antes do conflito, o Egito permitia aproximadamente 600 caminhões diários em Gaza. As Nações Unidas colocaram a média diária em cerca de 500, incluindo ajuda e bens comerciais.

    Nesta quarta-feira (24), o Coordenador de Atividades do Governo de Israel nos Territórios (COGAT) enfatizou seu papel na obtenção de ajuda a Gaza, dizendo no X, anteriormente Twitter, que “O papel de Israel na operação de ajuda humanitária para Gaza é um: inspecionar a ajuda por razões de segurança. Nosso processo de inspeção é eficiente, com o aumento de nossas capacidades para maximizar as capacidades de inspeção. Não há limite para a quantidade de ajuda que pode entrar em Gaza.”

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original