Príncipe Harry chega ao Reino Unido para o funeral do Príncipe Philip

Meghan, que está grávida, não comparecerá a conselho de seu médico; esta é a primeira vez que ele se encontra com a família após a entrevista à Oprah Winfrey

Harry afirmou compreender a solidão e a dor de crianças e jovens que perdem pais, mas garantiu que o 'sentimento vai passar'
Harry afirmou compreender a solidão e a dor de crianças e jovens que perdem pais, mas garantiu que o 'sentimento vai passar' Foto: Paul Edwards - 5.mar.2020/Reuters

Reuters

Ouvir notícia

O príncipe Harry, cuja entrevista explosiva ao lado de sua esposa Meghan mergulhou a família real em sua maior crise em décadas, voltou à Grã-Bretanha para o funeral do príncipe Philip, que acontecerá no próximo sábado. 

Philip, o marido da rainha Elizabeth II há 73 anos e que esteve ao seu lado durante seu reinado de 69 anos, morreu no Castelo de Windsor na sexta-feira (9).

Harry, o neto de Philip, chegou a Londres neste domingo (11), vindo de Los Angeles em um vôo da British Airways, noticiou o jornal The Sun. O Palácio de Buckingham disse que Meghan, que está grávida, não comparecerá a conselho de seu médico.

Harry, o sexto na linha de sucessão ao trono, entrará em quarentena de acordo com as diretrizes do coronavírus para que possa comparecer ao funeral cerimonial no Castelo de Windsor.

Entrevistada por Oprah Winfrey no mês passado, Meghan disse que seus apelos por ajuda enquanto ela se tinha pensamentos suicidas foram ignorados e que um membro não identificado da família perguntou o quão escura a pele de seu filho pode ser.

Harry também lamentou a reação de sua família à decisão de se afastar das obrigações oficiais e se mudar para Los Angeles.

Em resposta, a rainha Elizabeth disse que a realeza ficou triste com as experiências desafiadoras de seu neto e Meghan e prometeu abordar em particular as revelações sobre o comentário racista sobre seu filho. Philip, que morreu aos 99 anos, está descansando na Capela Privada do Castelo de Windsor.

Philip com Elizabeth no casamento deles, em 1947
Philip com Elizabeth no casamento deles, em 1947
Foto: Topical Press Agency/Getty Images

‘Vazio enorme’

No próximo sábado, o caixão, coberto pelo estandarte de Philip, uma coroa, seu boné naval e sua espada, será levado para a entrada do Castelo de Windsor por um grupo de portadores da Companhia da Rainha, Guardas Granadeiros do 1º Batalhão.

O príncipe Charles e outros membros da família real participarão de uma procissão a pé atrás do caixão, que será transportado por um Land Rover especialmente modificado que Philip ajudou a projetar. A rainha, aos 94 anos, não vai andar na procissão.

Quando o caixão chegar à Capela de São Jorge em Windsor, a Grã-Bretanha fará um minuto de silêncio. Não haverá procissões públicas e o funeral será realizado inteiramente no interior do Castelo de Windsor e limitado a 30 pessoas de luto, de acordo com as restrições devido à pandemia. 

Uma tempestade de neve na primavera na segunda-feira atingiu o Castelo de Windsor, onde a rainha Elizabeth ponderou sobre a perda de seu marido.

Seu filho, o príncipe Andrew, disse neste domingo que a rainha foi estoica diante de uma perda que ela descreveu como “tendo deixado um grande vazio em sua vida”.

Andrew juntou-se a seus irmãos Charles, Anne e Edward ao dizer que eles se fortaleceram com uma manifestação nacional de afeto e que se uniriam à mãe em seus momentos de luto.

Charles prestou homenagem no sábado a seu “querido papai”, que prestou serviços tão devotados à rainha Elizabeth, à família real, à Grã-Bretanha e à Comunidade Britânica, expressando sua gratidão pelos comoventes elogios ao pai.

Mais Recentes da CNN