Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Professora detida na Hungria há mais de um ano é eleita para Parlamento Europeu

    Ilaria Salis foi liberada da prisão domiciliar e deve retornar à Itália neste final de semana

    Professora italiana Ilaria Salis, eleita para Parlamento Europeu
    Professora italiana Ilaria Salis, eleita para Parlamento Europeu Reuters

    Da Reuters

    A ativista antifascista italiana Ilaria Salis foi liberada da prisão domiciliar em Budapeste, na Hungria, depois de ter sido eleita para o Parlamento Europeu no último fim de semana, informou seu advogado, Gyorgy Magyar, à Reuters nesta sexta-feira (14).

    Os membros do Parlamento Europeu contam com imunidade legal contra acusações, mesmo que as alegações estejam relacionadas a delitos supostamente cometidos antes das eleições.

    A professora de 39 anos foi acusada de participar das agressões de um grupo antifascista a pessoas consideradas ativistas de extrema direita na Hungria.

    Segundo o advogado, a polícia já retirou a tornozeleira eletrônica de Salis. O pai da ativista deveria chegar a Budapeste nesta sexta para levá-la de volta à Itália, acrescentou Magyar.

    Salis estava detida na Hungria há mais de um ano em um caso que levou a Aliança Verde e de Esquerda italiana a indicá-la entre seus candidatos na votação europeia.

    Sua situação causou indignação na Itália em fevereiro, depois que ela foi levada a uma audiência no tribunal com os pés e as mãos amarrados e uma corrente em volta da cintura.

    A questão é politicamente delicada devido aos laços de longa data entre a primeira-ministra de direita da Itália, Giorgia Meloni, e o premiê húngaro, Viktor Orban.