Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    “Provem que estão conosco e que não nos abandonarão”, diz Zelensky à União Europeia

    Parlamentares europeus devem cobrar bloco de 27 países pela aplicação de sanções ainda mais duras, de acordo com um rascunho do texto que será votado ainda nesta terça-feira (1º)

    Bart MeijerPhilip Blenkinsopda Reuters

    Ouvir notícia

    O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, fez um chamado à União Europeia, nesta terça-feira (1º), para que os países provem que estão do lado da Ucrânia em sua guerra com a Rússia – um dia depois de assinar um pedido oficial de adesão ao bloco.

    “Estamos lutando para ser membros iguais da Europa”, disse Zelenskiy em um pronunciamento ao Parlamento Europeu por videoconferência.

    “Provem que vocês estão conosco. Provem que você não vão nos abandonar. Provem que vocês são realmente europeus e então a vida vencerá a morte e a luz vencerá as trevas. Glória à Ucrânia “, disse ele em ucraniano em um discurso traduzido para Inglês por um intérprete falando entre lágrimas, enquanto a emoção tomava conta do parlamento.

    Os parlamentares da UE, muitos vestindo camisetas com uma hashtag de apoio à Ucrânia e segurando a bandeira ucraniana, outros com lenços ou fitas azuis e amarelas, aplaudiram Zelensky de pé.

    “A União Europeia será muito mais forte conosco. Sem vocês, a Ucrânia estará solitária”, disse Zelensky, com Kiev provavelmente ciente de que a candidatura da Ucrânia à adesão será longa e difícil.

    Os legisladores da UE devem chamar a Rússia de “estado pária” e instar o bloco de 27 países a concordar com sanções ainda mais duras, de acordo com um rascunho de texto que será votado ainda nesta terça-feira.

    A União Europeia tomou medidas sem precedentes, incluindo o financiamento de entregas de armas para a Ucrânia, depois que o presidente da Rússia, Vladimir Putin, lançou uma guerra contra seu vizinho na semana passada.

    De acordo com um projeto de resolução e emendas apoiadas pelos principais partidos da assembleia, os legisladores pedirão que o escopo das sanções seja ampliado e “destinado a enfraquecer estrategicamente a economia e a base industrial russa, em particular o complexo militar-industrial”.

    A invasão da Ucrânia pela Rússia “efetivamente torna a Rússia um estado desonesto”, os legisladores devem dizer.

    Enquanto Putin “lembra as declarações mais terríveis dos ditadores do século 20”, Zelensky está sendo “heroico”, disse o rascunho da resolução não vinculativa.

    O Parlamento Europeu também pedirá aos líderes da UE que sejam mais rígidos com os oligarcas e funcionários próximos à liderança russa, restrinjam as importações de petróleo e gás da Rússia, proíbam a Rússia e sua aliada Belarus inteiramente do sistema de mensagens bancárias SWIFT e fechem todos os portos da UE para navios russos ou navios com destino ou origem na Rússia.

    “A mensagem da Europa é clara. Vamos nos levantar, não vamos desviar o olhar quando aqueles que lutam nas ruas por nossos valores derrubarem a máquina de guerra de Putin”, disse a presidente do Parlamento da UE, Roberta Metsola, falando em frente às bandeiras da UE e da Ucrânia. .

    A Rússia chama suas ações na Ucrânia de “operação especial”.

    Mais Recentes da CNN