Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Putin diz que Rússia não precisa usar armas nucleares para vencer a Ucrânia

    Declaração é o sinal mais forte do Kremlin de que o conflito não se transformará em uma guerra nuclear

    Presidente russo, Vladimir Putin, participa do Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo
    Presidente russo, Vladimir Putin, participa do Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo 07/06/2024REUTERS/Anton Vaganov/Pool

    Reuters

    O presidente Vladimir Putin disse na sexta-feira (7), que a Rússia não precisava usar armas nucleares para garantir a vitória na Ucrânia. Essa declaração é o sinal mais forte do Kremlin de que o conflito mais mortal da Europa desde a Segunda Guerra Mundial não se transformará em uma guerra nuclear.

    Desde que Putin ordenou a entrada de tropas na Ucrânia, em fevereiro de 2022, o líder russo disse em diversas ocasiões que o país usaria armas nucleares, se necessário, para se defender. 

    Questionado na sessão plenária do Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo, se a Rússia deveria apontar uma “pistola nuclear” para o Ocidente por meio da Ucrânia, Putin disse que não via as condições para usar tais armas.

    “O uso é possível em um caso excepcional – no caso de uma ameaça à soberania e à integridade territorial do país. Não creio que isso vá acontecer. Não existe necessidade”, disse Putin.

    Moscou considera a Crimeia – que confiscou da Ucrânia em 2014 – e quatro outras regiões ucranianas agora como partes integrantes do próprio território, aumentando a possibilidade de um ataque nuclear.

    A Ucrânia intensificou os ataques de drones e mísseis contra alvos russos, incluindo na Crimeia e prometeu expulsar todas as forças russas do seu território.

    Putin disse não descartar mudanças na doutrina nuclear da Rússia, que estabelece as condições sob as quais essas armas poderiam ser usadas.

    Ele também disse que, se necessário, a Rússia poderia testar uma arma nuclear, embora não visse necessidade no momento.

    O debate público sobre ataques nucleares no palco do principal fórum econômico da Rússia pareceu ser uma tentativa do Kremlin de reduzir os receios nucleares. Esse é um momento em que a guerra na Ucrânia avança para aquela que diplomatas russos e americanos dizem ser a fase mais perigosa até agora.

    A Rússia e os Estados Unidos detêm quase 90% das armas nucleares do mundo.