Putin diz que sanções do Ocidente contra Rússia são como uma “declaração de guerra”

Presidente russo também declarou que qualquer país que tente impor uma zona de exclusão aérea na Ucrânia será considerado como parte do conflito

Da Reuters*

Ouvir notícia

O presidente Vladimir Putin disse, neste sábado (5), que as sanções aplicadas por países ocidentais contra a Rússia são semelhantes a uma declaração de guerra e alertou que qualquer tentativa de impor uma zona de exclusão aérea na Ucrânia equivaleria a entrar no conflito.

Putin reiterou que seus objetivos na Ucrânia são defender as comunidades de língua russa através da “desmilitarização e desnazificação” do país para que se torne neutro.

A Ucrânia e os países ocidentais negaram e trataram isso como um pretexto infundado para a invasão que ele lançou em 24 de fevereiro e impuseram uma ampla gama de sanções destinadas a isolar Moscou.

“Essas sanções que estão sendo impostas são semelhantes a uma declaração de guerra, mas graças a Deus não chegou a isso”, disse Putin, falando a um grupo de comissárias de bordo em um centro de treinamento da Aeroflot perto de Moscou.

Ele disse que qualquer tentativa de outra potência de impor uma zona de exclusão aérea na Ucrânia seria considerada pela Rússia como um passo para dentro do conflito militar.

“Vamos considerá-los [esses países] imediatamente como participantes de um conflito militar, e não importa integrantes de quais organizações sejam”, disse Putin.

“É impossível fazê-lo no próprio território da Ucrânia. Só é possível a partir do território de alguns estados vizinhos. Mas qualquer movimento nessa direção será considerado por nós como participação em um conflito armado”, acrescentou o presidente russo.

A Otan rejeitou o pedido de Kiev de uma zona de exclusão aérea, alegando que isso aumentaria a guerra além da Ucrânia.

O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, disse na sexta-feira que o estabelecimento de uma zona de exclusão aérea na Ucrânia pelos Estados Unidos e seus aliados da Otan pode levar a uma “guerra de pleno direito na Europa”, mas acrescentou que Washington continuará trabalhando com seus aliados para fornecer aos ucranianos os meios para se defenderem da agressão russa.

Ainda neste sábado, Putin afirmou que não havia recrutas envolvidos na operação militar, que ele disse estar sendo realizada apenas por soldados profissionais.

“Não há um recruta e não planejamos que haja”, disse Putin. “Nosso exército cumprirá todas as tarefas. Não tenho dúvidas disso. Tudo está indo como planejado.”

Putin rejeitou as preocupações de que algum tipo de lei marcial ou situação de emergência possa ser declarada na Rússia. Ele disse que tal medida foi imposta apenas quando havia uma ameaça interna ou externa significativa.

“Não planejamos introduzir nenhum tipo de regime especial em território russo – atualmente não há necessidade”, disse Putin.

Seu governo reprimiu os protestos na Rússia contra a guerra.

*Com informações da CNN Internacional

Mais Recentes da CNN