Quase 70 médicos de hospital espanhol pegam Covid após festa antecipada de Natal

Autoridades de saúde da Espanha pediram para que agentes de saúde não compareçam às festividades este ano

Primeiro-ministro espanhol pediu para que as pessoas estejam atentas à contaminação pelo coronavírus
Primeiro-ministro espanhol pediu para que as pessoas estejam atentas à contaminação pelo coronavírus Unsplash/Daniel Prado

Graham Keeleyda Reuters

Ouvir notícia

Sessenta e oito médicos que trabalham na unidade de terapia intensiva do Hospital Regional da Universidade de Málaga foram diagnosticados com o coronavírus após participarem de uma festa antecipada de Natal, de acordo com o governo regional da Andaluzia, Espanha, nesta segunda (6).

As autoridades de saúde disseram que estão investigando a fonte de contaminação, mas afirmaram que todos os 68 participaram da festa em 1º de dezembro, na qual 173 pessoas estiveram presentes.

Todos aqueles que contraíram a Covid-19 estão com sintomas leves, e fizeram testes de antígeno ou tomaram a dose de reforço de vacinas antes de comparecer à festa, completaram as autoridades de saúde.

Outra possível fonte de contaminação pode ter sido uma grande refeição para a equipe do hospital.

O primeiro-ministro espanhol Pedro Sanchez alertou as pessoas para permanecerem vigilantes contra o coronavírus durante o Natal.

“Não devemos baixar a guarda”, disse ele a jornalistas em Madri.

As autoridades de saúde da Andaluzia recomendaram que funcionários de outros hospitais públicos e privados não compareçam a festas de Natal.

Enquanto isso, quatro casos da variante Ômicron foram confirmados nas Ilhas Baleares da Espanha, segundo autoridades de saúde locais.

Um homem chegou às Ilhas Baleares recentemente e contaminou dois membros de sua família; uma quarta pessoa infectada chegou recentemente à Espanha da África do Sul, disseram as autoridades.

A Espanha havia confirmado anteriormente um total de cinco casos da variante Ômicron.

Mais Recentes da CNN