Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    10% de toda a população ucraniana deve deixar o país, estima ONU

    Levantamento do Alto-comissariado das Nações Unidas para Refugiados revela que 442 mil pessoas já fugiram rumo a países vizinhos

    Ricardo GouveiaHenri Alexandreda CNN em São Paulo

    O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) projeta que a guerra na Ucrânia deve deslocar 4 milhões de pessoas para outros países. É uma movimentação de cerca de 10% de toda a população ucraniana.

    Com cinco dias de guerra, governos vizinhos e a ONU apontam que 422 mil pessoas já cruzaram as fronteiras, fugindo do conflito com a Rússia.

    Em entrevista à CNN Rádio, o porta-voz do ACNUR Luiz Fernando Godinho demonstrou preocupação com o ritmo tão intenso no deslocamento.

    “É um impacto humanitário devastador, que vai ter consequências por muito tempo”, avalia. “A prioridade é acomodar essas pessoas nos países em que elas estão chegando para dar a elas a oportunidade de dar uma respirada.”

    Os países que mais concentram refugiados são Polônia, Moldávia, Romênia, Eslováquia e Hungria.

    As Nações Unidas cobram uma cooperação global para o atendimento aos ucranianos. Godinho explicou que ainda é cedo para saber o destino das pessoas que saíram da Ucrânia, mas afirma que elas querem voltar para casa, se possível.

    “A esperança delas é voltar, é uma dinâmica que a gente vê com a população refugiada no mundo inteiro”, conta o porta-voz da Acnur. “Ninguém quer ser refugiado, todo mundo quer voltar para casa, mas temos uma situação em que talvez isso não seja possível.”

    Luiz Fernando Godinho ainda lembra que o Brasil tem uma comunidade ucraniana grande e pode se tornar o destino de refugiados.

    No entanto, Godinho avalia que a tendência é de que a maior parte dessas pessoas se acomode em países vizinhos, justamente por causa do desejo de voltar para casa um dia.