Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Renault anuncia saída da Rússia e vende mais de US$ 2 bilhões em ativos a Moscou

    Diretores da montadora francesa concordaram por unanimidade com a venda da empresa para a capital russa e sua participação majoritária na montadora russa AVTOVAZ para um instituto russo

    Renault.
    Renault. Foto: Stephane Mahe/File Photo / Reuters

    Joseph AtamanKatya Krebsda CNN

    em Paris

    Ouvir notícia

    A montadora francesa Renault anunciou a venda de seus ativos na Rússia ao deixar formalmente o país após a invasão da Ucrânia. Os ativos valem 2,195 bilhões de euros (US$ 2,29 bilhões), segundo a Renault.

    Os diretores da empresa concordaram por unanimidade com a venda da Renault para a cidade de Moscou e sua participação majoritária na montadora russa AVTOVAZ para o NAMI (Instituto Central de Pesquisa e Desenvolvimento de Automóveis e Motores), de acordo com um comunicado divulgado nesta segunda-feira (16).

    “Tomamos uma decisão difícil, mas necessária. E estamos fazendo uma escolha responsável em relação aos nossos 45 mil funcionários na Rússia”, disse a Renault em comunicado.

    A venda de sua participação na AVTOVAZ oferece a opção para a Renault recomprar sua participação dentro de seis anos, de acordo com o comunicado.

    Escrevendo em seu blog, o prefeito de Moscou, Sergei Sobyanin, disse que a cidade decidiu assumir a propriedade da fábrica e “retomar a produção de carros de passeio sob a histórica marca Moskvich”.

    “Vamos tentar manter a maior parte da equipe trabalhando diretamente na fábrica e com seus subcontratados”, escreveu Sobyanin, prometendo uma mudança futura para a produção de carros elétricos.

    Moskvich era uma montadora da era soviética de veículos de passageiros comuns.

    A Rússia era uma peça-chave no império global da Renault antes do início da guerra.

    Com 482.264 carros vendidos em 2021, a Rússia foi o segundo mercado mais importante para a Renault, ficando atrás apenas da França, em termos de volume de vendas, de acordo com os resultados de vendas do grupo em 2021.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original

    Mais Recentes da CNN