Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Repórter da CNN embarca em trem com mais de 1.000 refugiados ucranianos

    Ivan Watson relatou que muitos passageiros estão desabrigados e não sabem qual será o destino final da viagem

    Ivan WatsonMaureen Chowdhuryda CNN

    Ouvir notícia

    Mais de um mês desde o início da guerra na Ucrânia, os civis ainda estão fugindo. O repórter Ivan Watson, da CNN, embarcou em um trem que transportava mais de 1.000 refugiados para locais seguros. Os ucranianos a bordo do trem estavam viajando de graça, informou Watson.

    “Eles estarão viajando nas próximas 24 horas. Este trem está transportando essa carga humana para um local seguro no oeste da Ucrânia. A guerra forçou todos aqui a fugir de suas casas, incluindo a tripulação do trem, que inclui o maquinista Sergey Hrishenko, que dirigiu o último trem da cidade de Mariupol em 25 de fevereiro, um dia depois que a Rússia lançou sua invasão. Não havia trens de Mariupol desde então, já que em um mês as tropas russas destruíram grande parte da cidade“, relatou Watson.

    Hrishenko contou ao repórter sobre sua experiência. “Toda a minha equipe, 20 condutores, todos saíram comigo. Muitos deles ficaram desabrigados, perderam seus apartamentos, alguns deles perderam parentes”.

    O maquinista disse que passou o mês seguinte vivendo e trabalhando no trem sem parar, lutando para evacuar ucranianos desesperados que tentavam fugir para um local seguro. Ele disse a Watson que estima que durante o mês em que estava trabalhando, eles evacuaram 100 mil pessoas.

    Watson também conversou com Galina Bordarenko, que fugiu de seu vilarejo nos arredores da cidade de Zaporizhzhya com seu filho de 19 anos depois de suportar duas semanas de bombardeios russos.

    “Sinto indignação. Indignação total. E sinto medo quando eles estão atirando”, disse ela ao repórter através de um tradutor em uma entrevista no trem.

    Uma mulher disse a Watson que conseguiu fugir depois de viver um mês sob ocupação russa. Ela disse que, durante esse tempo, só saiu duas vezes porque ouviu histórias não confirmadas de estupro.

    Um grupo de mulheres no trem disse à CNN que viram soldados russos “bêbados” e “imundos” pedindo suprimentos para residência, como comida e papel higiênico. Eles também colocaram bandeiras russas, disse a mulher.

    “Eles acham que podem mudar nossas mentes, mas não funciona assim. Eu quero que o povo russo também volte para suas terras. Eles têm muitas terras e espero ser o suficiente. Parem, por favor. É muito doloroso para todos aqui, para todos neste trem e fora. Era uma vida muito pacífica sem esses ataques”, disse uma passageira.

    Watson disse que o trem estava indo para a cidade ocidental de Lviv, e observou que o destino final da maioria dos refugiados a bordo provavelmente ainda não é claro.

    Assista ao relato de Watson no trem:

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original

    Mais Recentes da CNN