Rússia dispensa comandantes por falhas no Mar Negro e em Kharkiv, diz Reino Unido

Segundo o Ministério de Defesa britânico, não está claro se Vladimir Putin mantém a confiança no chefe do Estado-Maior russo

Soldado ucraniano em frente a tanque russo destruído em Kharkiv
Soldado ucraniano em frente a tanque russo destruído em Kharkiv Reuters

Henrique Andradeda CNN

São Paulo

Ouvir notícia

Nas últimas semanas, a Rússia dispensou comandantes de alto escalão considerados responsáveis pelo desempenho ruim do país nos estágios iniciais da invasão da Ucrânia, afirma o Ministério de Defesa do Reino Unido.

Segundo boletim divulgado nesta quinta-feira (19), a inteligência britânica aponta principalmente para o tenente-general Serhiy Kisel e o vice-almirante Igor Osipov.

Kisel comandou a elite do Exército Blindado de Tanques e foi suspenso por sua falha em capturar a cidade de Kharkiv, a segunda maior da Ucrânia, localizada no sul do país. O contra-ataque ucraniano tem usado a região de Kharkiv como principal ponto de pressão na fronteira com a Rùssia.

Já Osipov comandava a Frota da Rússia do Mar Negro, e provavelmente foi suspenso após o naufrágio do Moskva, principal navio russo na região. O ataque ao Moskva foi essencial para elevar a moral da Ucrânia no conflito.

Ainda segundo a inteligência britânica, o chefe do Estado-Maior da Rússia, Valeriy Gerasimov, permanece no cargo, mas não está claro se mantém a confiança do presidente russo Vladimir Putin.

A Defesa do Reino Unido diz que uma cultura de acobertamento de erros e procura por culpados prevalece entre os militares russos e deve dificultar ainda mais a iniciativa da Rússia daqui em diante.

“Isso provavelmente sobrecarregará ainda mais o modelo centralizado de comando e controle da Rússia, à medida que os oficiais procuram cada vez mais adiar decisões importantes para seus superiores”, avalia a inteligência britânica.

Mais Recentes da CNN