Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Rússia não pode vencer guerra na Ucrânia, diz Macron

    Presidente francês reforçou que potências ocidentais apoiarão Kiev pelo tempo que for necessário

    Presidente da França, Emmanuel Macron, durante cerimônia em Suresnes
    Presidente da França, Emmanuel Macron, durante cerimônia em Suresnes 18/06/2022 REUTERS/Gonzalo Fuentes/Pool

    John Irish e Tassilo Hummelda Reuters

    Ouvir notícia

    O presidente francês, Emmanuel Macron, disse nesta terça-feira (28) que a Rússia não pode ganhar a guerra na Ucrânia e que as potências ocidentais apoiarão Kiev pelo tempo que for necessário, além de afirmar que elas estão prontas para intensificar os esforços a fim de atingir as exportações de energia russas.

    Em entrevista ao final de uma cúpula dos países do G7, Macron disse em entrevista coletiva que estava claro que Moscou agora tinha o único objetivo de tentar forçar a rendição da Ucrânia.

    “Eu realmente espero que o fim (do conflito) possa ser alcançado até o final do ano, com certeza e desejo, que é que a Rússia não pode e não deve vencer”, disse Macron.

    Bombeiros e soldados procuraram sobreviventes na terça-feira nos escombros de um shopping ucraniano, onde as autoridades disseram que 36 pessoas estavam desaparecidas após um ataque de mísseis russo que matou pelo menos 18.

    Macron disse que tais atos mostram que são necessárias mais sanções e que o G7 continuará intensificando o apoio militar à Ucrânia para se defender. Ele repetiu que aqueles que cometeram crimes de guerra precisavam ser responsabilizados.

    “Nosso apoio à Ucrânia e nossas sanções contra a Rússia continuarão enquanto for necessário e com a intensidade necessária nos próximos dias e semanas”, disse ele.

    Macron foi criticado no passado por sua posição em relação à Rússia, mas parece determinado a se alinhar totalmente com outros líderes do G7. Ele disse que em uma próxima cúpula da Otan em Madri na quarta-feira (29), a aliança deve enviar uma mensagem de “força e unidade”.

    Como parte dos esforços para aumentar a pressão sobre a Rússia, Macron disse que apoia a ideia de um teto de preço de petróleo e gás, incluindo uma proposta dos EUA para limitar o petróleo russo, mas disse que precisa ser estudado e ampliado para incluir uma “aliança” de compradores para definir o limite e torná-lo eficaz.

    Ele disse que um teto de preço do gás, que a Itália tem pressionado, parece mais fácil de implementar, acrescentando que os países precisam se unir para acabar com a especulação selvagem.

    “Temos sistemas e mercados desregulamentados por causa da guerra, temos pessoas que especulam por causa da guerra e hoje temos muitas pessoas que estão ganhando dinheiro com a guerra”, disse ele. “Chamamos isso de especulação de guerra.”

    Macron acrescentou que é “crucial” liberar espaço nas próximas semanas antes da próxima colheita de grãos na Ucrânia e que as negociações da Organização das Nações Unidas (ONU) com Rússia, Ucrânia e Turquia para abrir uma rota marítima de Odessa estão em andamento.

    Mais Recentes da CNN