Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Rússia volta a acusar EUA sobre armas biológicas; americanos falam em desinformação

    Reunião do Conselho de Segurança da ONU nesta sexta-feira discutiu as alegações sobre armas químicas e biológicas

    Tiago Tortellada CNN

    A Rússia voltou a acusar os Estados Unidos de estarem desenvolvendo armas biológicas e financiando projetos em laboratórios ucranianos. A fala aconteceu durante a reunião do Conselho de Segurança da ONU desta sexta-feira (18).

    Durante o pronunciamento, o embaixador russo, Vassily Nebenzia, listou diversos laboratórios pela Ucrânia que estariam sendo utilizados pelos americanos para o desenvolvimento de armas biológicas e estudos de patógenos, além de estarem sendo financiados com dinheiro dos EUA.

    “Damos à ONU informações sobre instalações e atividades biológicas no país [Ucrânia] e operações em segredo desde 2006, quando esse projeto começou, de acordo com os documentos aqui referenciados”, acrescentou.

    “É uma pesquisa perigosa que Washington não faz em seu próprio território, não querendo ameaçar seu próprio povo”, afirmou o representante, adicionando que cientistas ucranianos teriam ganhado viagens internacionais totalmente pagas.

    Segundo Nebenzia, os artefatos seriam uma ameça a toda a região e que não seria possível estimar a perda de vidas humanas se elas fossem usadas ou houvesse uma falha nas instalações.

    Estados Unidos falam em desinformação e teoria da conspiração

    A embaixadora americana, Linda Thomas-Greenfield, rebateu as acusações do russo e afirmou que “é a Rússia quem tem o histórico de armas químicas. A Rússia é o agressor aqui”.

    “Não vamos dignificar a desinformação russa ou teorias da conspiração”, pontuou Thomas-Greenfield, acrescentando que “nós sabemos que a desinformação da Rússia é um sinal de seu desespero. Essa é a verdade. Vamos garantir que o mundo continue vendo e ouvindo isso”.

    A embaixadora ressaltou que o ato seria uma “bandeira falsa”, na tentativa de tirar a atenção do conflito em si, adicionando que “a Rússia tem mendito repetidamente para o Conselho nas últimas semanas”, assim como “para seu próprio povo”.

    Após a fala da americana, Nebenzia pediu a palavra novamente e disse que a Ucrânia está “sendo mantida no escuro” sobre manipulação de patógenos e que “nacionalistas ucranianos” usaram agentes químicos em oportunidades para acusar a Rússia de ser a responsável pelo ataque.