Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Sanções russas não visam parar gás para União Europeia, diz Alemanha

    Gigante russa Gazprom anunciou bloqueios a envio de gás por gasodutos poloneses; para ministro alemão, se trata de estratégia para aumentar preços

    Instalações de gasoduto na Rússia em setembro de 2021
    Instalações de gasoduto na Rússia em setembro de 2021 Reprodução /Nord Stream 2 / Nikolai Ryutin

    Reuters

    A Alemanha disse nesta quinta-feira (12) que não espera que as sanções russas contra subsidiárias da estatal Gazprom da União Europeia resultem na paralisação das entregas de gás, acrescentando que as medidas punitivas parecem destinadas a elevar os preços.

    O ministro da Economia, Robert Habeck, disse durante uma entrevista coletiva que as sanções constituem uma escalada, acusando a Rússia de usar energia como arma.

    Ele disse que a Alemanha não elevaria o nível de emergência de seu nível atual, já que uma queda esperada de 3% nas entregas de gás russas como resultado das novas sanções poderia ser compensada no mercado, embora a preços mais altos.

    Bloqueios

    Nesta quinta, a Gazprom disse que vai parar de enviar gás russo pelo gasoduto “Yamal”, que atravessa a Polônia. No mês passado, a Gazprom informou que havia interrompido totalmente o fornecimento à empresa de gás polonesa PGNiG e à Bulgargaz, da Bulgária, depois que se recusaram a atender a uma demanda de Moscou de pagar em rublos em vez de euros ou dólares.

    O duto Yamal vai da Rússia, através de Belarus, até a Polônia e a Alemanha. De acordo com a empresa analista de energia Bruegel, ele responde por uma pequena parte do fluxo de gás russo para a Europa, e seu uso vem diminuindo acentuadamente desde o início da guerra contra a Ucrânia.

    O regulador de energia alemão minimizou o impacto em seus suprimentos. Ele disse à Reuters em um comunicado que interromper o fluxo de gás através do Yamal não colocará em risco o abastecimento alemão, porque “quase nenhum gás para a Alemanha está passando por esse gasoduto há semanas”.

    *Com informações da CNN