Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Sergey Lavrov diz que Nancy Pelosi exibe “ilegalidade” dos EUA em Taiwan

    Ministro das Relações Exteriores da Rússia condenou a visita da presidente da Câmara dos Deputados dos EUA à ilha

    Radina Gigovada CNN

    Ouvir notícia

    A visita da presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi, a Taiwan reflete o desejo de Washington de provar sua “impunidade e mostrar sua ilegalidade”, disse o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergey Lavrov, durante uma entrevista coletiva com o ministro das Relações Exteriores de Mianmar, Wunna Maung Lwin, segundo a agência de notícias estatal russa TASS.

    Lavrov conectou a visita de Pelosi com a resposta dos EUA à invasão da Ucrânia pela Rússia, dizendo: “Não posso dizer qual foi a motivação deles [dos americanos], mas não há dúvidas de que reflete a mesma política de que estamos falando em relação à situação ucraniana”.

    “Este é um desejo de provar a absolutamente todos [sua] impunidade e mostrar sua ilegalidade”, completou.

    Lavrov disse que não vê nenhuma outra “razão para criar uma coisa tão irritante literalmente do nada, plenamente consciente do que isso significa para a República Popular da China“.

    A recusa da China em condenar a guerra da Rússia contra a Ucrânia alimentou especulações sobre suas intenções com Taiwan, levantando questões sobre como o mundo poderia reagir caso lançasse um ataque.

    Na terça-feira, o Ministério das Relações Exteriores da Rússia disse em comunicado que a Rússia considerou a visita de Pelosi “uma clara provocação no espírito da política agressiva dos Estados Unidos de um esforço total para conter a RPC [República Popular da China]”.

    O ministério também pediu a Washington “que se abstenha de ações que prejudiquem a estabilidade regional e a segurança internacional e reconheça a nova realidade geopolítica na qual não há mais lugar para a hegemonia americana”.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original

    Mais Recentes da CNN