Tsunami atinge ilhas de Tonga e Samoa Americana após erupção vulcânica

Erupção do vulcão submarino Hunga-Tonga-Hunga-Ha'apai gerou ondas de mais de um metro na capital de Tonga, com risco do tsunami chegar aos EUA

Alex StambaughRhea MogulSophie Jeongda CNN

Ouvir notícia

Ondas de tsunami atingiram as ilhas de Tonga e Samoa Americana neste sábado (15) após a erupção de um vulcão submarino no Pacífico Sul. O vulcão explodiu em uma erupção violenta no sábado, enviando uma nuvem de cinzas e vapor de gás para o ar.

O vulcão Hunga-Tonga-Hunga-Ha’apai, localizado a 65 quilômetros da capital de Tonga, entrou em erupção pela primeira vez na sexta-feira (14), enviando uma nuvem de cinzas a 20 quilômetros no ar, de acordo com a Radio New Zealand (RNZ), afiliada da CNN.

Uma segunda erupção ocorreu no sábado às 17h26, horário local, informou a RNZ. Imagens de satélite mostram uma enorme nuvem de cinzas e ondas de choque se espalhando a partir da erupção.

Ondas de tsunami de mais de um metro foram observadas por medidores na capital tonganesa, e de 60 centímetros em Pago Pago, capital da Samoa Americana, segundo o Centro de Alerta de Tsunami do Pacífico.

As ondas atingiram a costa da capital de Tonga, Nuku’alofa, no sábado, fluindo para estradas costeiras e inundando propriedades, de acordo com RNZ.

O rei Tupou VI de Tonga foi evacuado do Palácio Real depois que o tsunami inundou a capital, informou o RNZ, citando relatos da mídia local de que um comboio de policiais e tropas levou o monarca para uma vila em Mata Ki Eua.

Os moradores se dirigiram para terrenos mais altos, enquanto as ondas varreram os jardins do palácio, a orla e a rua principal da capital.

Cinzas estavam caindo do céu em Nuku’alofa na noite de sábado e as conexões telefônicas ficaram sem sinal, afirmou a RNZ.

Além do alerta para tsunami, os Serviços Meteorológicos de Tonga emitiram alertas para chuvas fortes, inundações repentinas e ventos fortes em terras e águas costeiras.

A ilha vizinha de Fiji também emitiu um aviso público pedindo às pessoas que vivem em áreas costeiras baixas que “se movam para a segurança em antecipação às fortes correntes e ondas perigosas”.

Alertas de tsunami também foram emitidos para a Ilha Norte da Nova Zelândia e a costa oeste dos Estados Unidos, da Califórnia ao Alasca, bem como para a Colúmbia Britânica do Canadá.

Um alerta de tsunami também está em vigor para a nação insular de Vanuatu, no Pacífico, de acordo com seu Escritório Nacional de Gerenciamento de Desastres, com os moradores aconselhados a se afastar da costa e buscar terrenos mais altos.

Outro alerta de tsunami está em vigor para todas as áreas costeiras baixas de Samoa, disse o Serviço Meteorológico de Samoa. “Todas as pessoas que vivem em áreas costeiras baixas são aconselhadas a ficar longe das áreas de praia”, afirmou a agência, e o público deve evitar visitar as áreas costeiras.

Um alerta anterior de tsunami emitido para a Samoa Americana chegou a ser cancelado, de acordo com o NWS Pacific Tsunami Warning Center. O vulcão estava ativo desde 20 de dezembro, mas foi declarado inativo em 11 de janeiro, segundo a RNZ.

Tonga
Capital de Tonga foi atingida por tsunami apos erupção / Twitter/Sakak Moana

Aviso para os Estados Unidos

Um alerta de tsunami está agora em vigor para a costa oeste dos Estados Unidos, incluindo os estados da Califórnia, Oregon, Washington e Alasca, de acordo com o NWS National Tsunami Warning Center em Palmer, Alasca.

Dave Snider, Coordenador de Alerta de Tsunami no Centro Nacional de Alerta de Tsunami em Palmer, Alasca, disse à CNN: “Vimos a onda se movendo pela ilha havaiana”.

As observações atuais são de que a onda tem um a dois pés de altura em direção à costa do Pacífico continental dos Estados Unidos. O horário estimado de chegada ao longo da costa da Califórnia é das 12h às 12h30, no horário de Brasília.

Falando por telefone, Snider observou: “Não temos uma previsão muito boa porque este evento é baseado em um vulcão e não em um terremoto”.

Snider observa que este é atualmente um aviso e não um alerta de tsunami em vigor para a costa oeste dos Estados Undos após a erupção de Tonga.

Um alerta de tsunami também foi emitido para áreas costeiras na costa norte e leste da Ilha Norte da Nova Zelândia e nas Ilhas Chatham, onde são esperadas “correntes fortes e incomuns e ondas imprevisíveis na costa”, de acordo com a Agência Nacional de Gerenciamento de Emergências da Nova Zelândia.

O serviço meteorológico oficial da Nova Zelândia disse que suas estações meteorológicas em todo o país observaram “um aumento de pressão” na noite de sábado devido à erupção.

A cientista Emily Lane, do Instituto Nacional de Água e Pesquisa Atmosférica da Nova Zelândia, disse ao New Zealand Science Media Center que foi uma erupção “muito significativa”.

“A onda de choque é claramente visível em imagens de satélite e há relatos de que a erupção foi ouvida pelo menos até a Nova Zelândia”, disse ela. “O tsunami da erupção atingiu mais de 2.500 quilômetros, sendo registrado em medidores em toda Aotearoa”.

Tsunamis gerados por vulcões são muito menos comuns do que tsunamis de terremotos submarinos, disse Lane.

Uma erupção menor no final de 2014 e no início de 2015 construiu a cratera do vulcão acima da superfície da água, acrescentou Lane, mas ainda não está claro exatamente como Hunga-Tonga-Hunga-Ha’apai entrou em erupção nesta ocasião.

“Quando virmos o que restou da ilha depois que essa erupção acabou, podemos começar a juntar as peças do que aconteceu”, disse ela.

O professor Shane Cronin, da Escola de Meio Ambiente da Universidade de Auckland, disse ao New Zealand Science Media Center que pesquisas sobre erupções históricas do mesmo vulcão sugerem que o atual episódio de erupção pode durar semanas ou meses “e que outras erupções de tamanho semelhante para o evento de 15 de janeiro de 2022 são possíveis.”

“A erupção provavelmente resultará em uma queda significativa de cinzas, até dez centímetros, em Tongatapu, bem como no grupo de ilhas Ha’apai”, disse ele. “Será necessária ajuda para restabelecer o abastecimento de água potável. O povo de Tonga também deve permanecer vigilante para novas erupções e especialmente tsunamis com curto prazo e deve evitar áreas baixas”.

Um alerta anterior de tsunami emitido para a Samoa Americana foi cancelado, de acordo com o NWS Pacific Tsunami Warning Center.

Não há ameaça de tsunami para Guam e a Comunidade das Ilhas Marianas do Norte de uma “erupção distante”, de acordo com o Centro de Alerta de Tsunami do Pacífico.

O vulcão estava ativo desde 20 de dezembro, mas foi declarado inativo em 11 de janeiro, segundo o RNZ.

Com informações da Reuters

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN