Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    TV norte-coreana censura jeans de apresentador de programa de jardinagem britânico

    País asiático tem lei que proíbe cidadãos de imitarem países estrangeiros em vários aspectos, incluindo a forma como se vestem e falam

    Alan Titchmarsh aparece na série de TV da BBC "Garden Secrets", que foi retransmitida pela KCTV da Coreia do Norte com um desfoque aplicado nos jeans que ele veste
    Alan Titchmarsh aparece na série de TV da BBC "Garden Secrets", que foi retransmitida pela KCTV da Coreia do Norte com um desfoque aplicado nos jeans que ele veste BBC/KCTV

    Jack GuyYoonjung Seoda CNN

    A emissora estatal da Coreia do Norte, a KCTV, desfocou a calça jeans usada pelo apresentador de TV britânico Alan Titchmarsh, em um caso da censura do país à moda e cultura estrangeiras.

    A KCTV transmitiu na segunda-feira (25) um episódio do programa “Garden Secrets”, apresentado por Titchmarsh, originalmente exibido na BBC em 2010.

    Em certo ponto, ele pode ser visto ajoelhado em um canteiro de flores, e os espectadores mais atentos perceberão que a metade inferior de seu corpo foi desfocada para obscurecer o jeans que ele está vestindo.

    Titchmarsh disse à BBC que a censura lhe deu alguma “credibilidade nas ruas”.

    “Nunca me vi como um imperialista subversivo perigoso – geralmente sou considerado bastante acolhedor e bastante inofensivo, por isso, na verdade, isso me deu um pouco de credibilidade nas ruas, não é verdade?”, comentou.

    Nam Sung-wook, professor de Estudos Norte-Coreanos na Universidade da Coreia em Seul, disse à CNN que a censura mostra que a Coreia do Norte está implementando rigorosamente a recém-adotada Lei de Ideologia Reacionária e Rejeição de Cultura.

    “A lei visa proibir os norte-coreanos de imitarem países estrangeiros em vários aspectos, incluindo a forma como se vestem e falam”, explicou.

    Ele acrescentou que os jeans foram proibidos para os residentes como símbolo do imperialismo americano, mas alguma flexibilidade foi aplicada aos visitantes estrangeiros, porque não podem impedi-los de usar jeans.

    Peter Ward, pesquisador do Instituto Sejong, na Coreia do Sul, afirmou que a censura faz parte de uma luta contra a “cultura e ideologia anti-socialistas”.

    “Os jeans estão associados à cultura ocidental ‘decadente’, como eram na União Soviética, e Kim Jong Il ordenou que as autoridades livrassem o país deles na década de 1990”, ressaltou.

    Titchmarsh, apresentador da BBC, durante a transmissão da KCTV. TV da Coreia do Norte
    Titchmarsh, apresentador da BBC, durante a transmissão da KCTV. TV da Coreia do Norte / BBC/KCTV

    “Eles têm feito campanhas contra a cultura anti-socialista pelo menos desde o início da década de 1990. A intensidade destas campanhas aumentou, especialmente desde 2020″, pontuou Ward.

    A Lei de Ideologia Reacionária e Rejeição da Cultura foi introduzida nesse ano, proibindo a população de distribuir, ver ou ouvir qualquer conteúdo cultural considerado anti-socialista.

    As violações são puníveis com anos de trabalhos forçados para pequenas quantidades de material proibido e até morte para quantidades maiores.

    A Agência Central de Notícias da Coreia, uma estatal, informou que a lei impede “a introdução e disseminação de ideologia e cultura anti-socialistas para que os norte-coreanos possam proteger a sua própria ideologia, espírito e cultura”.

    Durante décadas, a Coreia do Norte esteve relativamente isolada do resto do mundo, com restrições rigorosas à liberdade de expressão, à livre circulação e ao acesso à informação.

    O seu péssimo registro sobre manutenção de direitos humanos foi criticado pela ONU. O uso da Internet é fortemente restrito; mesmo os poucos privilegiados a quem são permitidos smartphones só podem aceder a uma intranet fortemente censurada e gerida pelo governo.

    Materiais estrangeiros, como livros e filmes, são proibidos, muitas vezes com punições severas para aqueles que são pegos com contrabando no mercado paralelo.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original