Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ucrânia apreende navio de carga e detém capitão por exportar grãos “saqueados”

    Kiev acusou a Rússia de negociar grãos ucranianos roubados desde o início da guerra de 2022; apreensões de navios, no entanto, têm sido raras e fontes de transporte disseram que estavam preocupadas com possíveis retaliações

    ARQUIVO: Navios comerciais que pertencem ao acordo de grãos do Mar Negro
    ARQUIVO: Navios comerciais que pertencem ao acordo de grãos do Mar Negro undefined

    Anastasiia Malenkoda Reuters

    A Ucrânia apreendeu um navio cargueiro estrangeiro no Mar Negro, na região de Odessa, e deteve o capitão sob suspeita de ajudar Moscou a exportar grãos ucranianos da Crimeia ocupada pela Rússia, informou o Serviço de Segurança da Ucrânia (SBU) nesta quinta-feira (11).

    Kiev acusou a Rússia de negociar grãos ucranianos roubados desde o início da guerra de 2022. Apreensões de navios, no entanto, têm sido raras e fontes de transporte disseram que estavam preocupadas com possíveis retaliações em um momento crítico do ano, já que as exportações de grãos da Ucrânia atingem um pico.

    O navio atracou repetidamente no porto marítimo de Sebastopol, na Crimeia, para coletar produtos agrícolas em 2023-24, disse o SBU, descrevendo as cargas como “saqueadas”.

    O Ministério Público da Ucrânia identificou o navio em uma declaração separada como “USKO MFU”, de bandeira de Camarões.

    Um funcionário do gerente do navio na Turquia, Iyem Asya, disse à Reuters que a carga atual do navio foi carregada na Moldávia.

    “O navio, enquanto estava sob nossa propriedade, não recebeu nenhuma carga dos territórios ocupados pela Rússia na Ucrânia e nunca utilizou portos ucranianos”, disse a autoridade.

    “Soldados ucranianos abordaram o navio enquanto ele navegava pelo Danúbio com um piloto romeno presente. Eles o ancoraram à força em seu lado do rio. Nossos advogados agora estão investigando o caso.”

    As forças russas ocuparam grandes partes das regiões agrícolas do sul da Ucrânia no primeiro ano de sua invasão e Kiev acusou a Rússia de roubar e destruir seus grãos, bem como de comercializá-los.

    O SBU disse que o capitão e 12 membros da tripulação ajudaram a Rússia a exportar grãos ucranianos retirados do sul ocupado para o Oriente Médio para venda em nome da Rússia.

    “A investigação está em andamento para estabelecer todas as circunstâncias do crime e identificar outras pessoas envolvidas na atividade ilegal”, disse o SBU.

    Em sua declaração, a Promotoria da Ucrânia disse que em uma de suas viagens em novembro de 2023, o USKO MFU carregou mais de 3 mil toneladas métricas de produtos agrícolas em Sebastopol destinados a uma empresa turca.

    O navio relatou sua posição pela última vez em 8 de julho, ancorado perto do porto ucraniano de Reni, ao longo do Rio Danúbio, mostraram dados de rastreamento de navios do LSEG nesta quinta-feira.

    O Ministério Público da Ucrânia disse que o navio foi detido após entrar nas águas de Reni e, em seguida, recebeu uma ordem de prisão.

    ARQUIVO: Navio de grãos ucraniano no Mar Negro / 2/11/2022 REUTERS/Serhii Smolientsev

    O capitão, um cidadão de um país do Cáucaso Meridional, pode pegar até cinco anos de prisão por violar as restrições de viagem que regem os territórios ocupados pela Rússia na Ucrânia, disse o SBU.

    O centro de Odessa é crucial para as exportações da Ucrânia no Mar Negro, que foram retomadas sem o consentimento da Rússia depois que Moscou desistiu de um acordo mediado pela ONU no verão passado que permitia que Kiev exportasse alimentos durante a guerra com a Rússia.

    Questionada se houve uma mudança na política ucraniana, uma fonte da polícia disse à Reuters na quinta-feira: “Essa é a nossa política. Este navio e o capitão trabalharam para os ocupantes e agora ele entrou nas águas controladas pela Ucrânia. E tivemos uma reação imediata.”

    Em 2022, autoridades ucranianas detiveram um navio que transportava trigo ucraniano para investigar seu suposto proprietário russo, segundo documentos judiciais.

    Separadamente, em 2015, autoridades ucranianas prenderam um navio de carga de propriedade turca e detiveram seu capitão durante uma visita que ele fez à Crimeia.