UE deveria confiscar reservas da Rússia para reconstruir a Ucrânia, diz Borrell

Principal diplomata do bloco disse ser a favor do uso dos recursos russos congelados pelos países ocidentais

Pessoas caminham em frente a prédio residencial destruído em Mariupol, na Ucrânia
Pessoas caminham em frente a prédio residencial destruído em Mariupol, na Ucrânia 22/04/2022REUTERS/Alexander Ermochenko

Hannah Ritchieda CNN

Ouvir notícia

A União Europeia deve considerar usar bilhões de dólares em reservas cambiais russas para reconstruir a Ucrânia após a guerra, disse o principal diplomata do bloco, Josep Borrell, em entrevista ao Financial Times nesta segunda-feira (9).

“Eu seria muito a favor porque tem muita lógica”, disse Borrell quando perguntado pelo FT se as reservas russas congeladas poderiam ajudar a financiar o esforço de reconstrução da Ucrânia quando a guerra chegar ao fim.

“Temos o dinheiro em nossos bolsos e alguém tem que me explicar por que é bom para o dinheiro afegão e não é bom para o dinheiro russo”, continuou ele, referindo-se à decisão dos Estados Unidos de usar US$ 7 bilhões em ativos congelados do banco central do Afeganistão para fornecer ajuda humanitária dentro do país depois que o Talibã tomou o poder.

Os países ocidentais congelaram cerca de US$ 315 bilhões em reservas cambiais da Rússia em resposta à invasão da Ucrânia.

Desde então, as autoridades da UE vêm debatendo se os ativos sancionados podem de alguma forma ser implantados para reconstruir a Ucrânia quando a guerra finalmente terminar. No entanto, nenhuma proposta política concreta foi apresentada.

Em abril, o Banco Central da Rússia ameaçou tomar medidas legais contra os EUA e a UE na tentativa de tentar descongelar suas reservas de ouro e divisas, mas ainda não há disputa jurídica está em andamento.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN