União Europeia diz que não reconhece o Talibã e que não mantém negociações

Presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen, deu a declaração neste sábado (21)

Bandeiras da União Europeia em Bruxelas, Bélgica
Bandeiras da União Europeia em Bruxelas, Bélgica 05/05/2021REUTERS/Yves Herman

Foo Yun Chee

Ouvir notícia

A União Europeia (UE) não reconheceu o Talibã, nem está mantendo negociações políticas com os militantes, disse a presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen, neste sábado (21), uma semana depois que eles tomaram o controle do Afeganistão.

O Talibã completou uma tomada relâmpago do Afeganistão no domingo (15), entrando na capital Cabul sem disparar um tiro.

A chefe do executivo da UE falou depois de visitar um centro de recepção em Madrid para funcionários afegãos de instituições da UE evacuados de Cabul.

Von der Leyen disse que iria propor um aumento de 57 milhões de euros (US$ 67 milhões) em ajuda humanitária que a Comissão havia alocado este ano para o Afeganistão.

Disse que a ajuda ao desenvolvimento da UE está ligada ao respeito pelos direitos humanos, ao bom tratamento das minorias e ao respeito pelos direitos das mulheres e raparigas.

“Podemos muito bem ouvir as palavras do Taleban, mas vamos medi-los acima de tudo por seus atos e ações”, disse von der Leyen em entrevista coletiva.

Ela disse que a Comissão está pronta para fornecer financiamento aos países da UE que ajudam a reinstalar refugiados, e ela planeja levantar a questão do reassentamento em uma reunião do G7 na próxima semana.

Após um pico em 2015, quando mais de um milhão de migrantes chegaram à UE, principalmente da Síria, Afeganistão e Iraque, a UE reduziu o número de chegadas graças a um acordo com a Turquia que recebe fundos da UE para hospedar requerentes de asilo em seu território.

Mais Recentes da CNN