Vencedor do Prêmio Nobel da Paz russo diz que foi atacado com tinta vermelha

Dmitry Muratov postou uma foto nas redes sociais após ser atacado por "tinha vermelha e acetona" em trem que partiu de Moscou

Dmitrij Muratov participa da cerimônia do Prêmio Nobel da Paz 2021
Dmitrij Muratov participa da cerimônia do Prêmio Nobel da Paz 2021 Rune Hellestad - Corbis/Corbis via Getty Images

Uliana PavlovaAnna ChernovaLianne Kolirinda CNN

Ouvir notícia

Dmitry Muratov, editor-chefe do jornal investigativo independente russo Novaya Gazeta, disse que foi atacado na quinta-feira (7) durante uma viagem de trem de Moscou para a cidade de Samara, quando um indivíduo não identificado derramou tinta vermelha sobre ele e seus pertences.

Muratov, que ganhou o Prêmio Nobel da Paz do ano passado por sua incansável defesa da liberdade de expressão na Rússia, disse à CNN no início desta semana que metade da população do país era contra a guerra na Ucrânia.

Em um post no Telegram na quinta-feira, Muratov disse: “Eles derramaram tinta a óleo com acetona no compartimento. Meus olhos ardiam terrivelmente. Trem Moscou-Samara. Cheiro oleoso por todo o carro. A partida já atrasou 30 minutos.  Vou tentar me lavar.[O atacante] gritou: ‘Muratov, um brinde a você pelos nossos meninos”.

Uma porta-voz do jornal, que no mês passado anunciou que estava suspendendo a publicação até o fim da guerra na Ucrânia, disse à CNN que os olhos de Muratov “parecem estar bem”.

No início desta semana, Muratov disse ao programa “Amanpour” da CNN que sua equipe foi “forçada” a parar de operar devido à “censura militar”.

Durante a entrevista, Muratov disse que era “impossível ver” fotos de cenas de Mariupol, Melitopol, Bucha e outras comunidades ucranianas, acrescentando que: “Isso se tornará um grande estudo de caso do que significa ditadura”.

Nos últimos 20 anos, o povo russo foi submetido a “propaganda total”, disse ele, cujo efeito foi “o mesmo que a radiação”.

“Esta propaganda obteve uma vitória, mas não sobre todos”, acrescentou.

Muratov disse que, segundo estimativa do próprio Kremlin, cerca de 25 milhões de russos são contra a “operação especial” na Ucrânia, mas que sua organização estima que esse número seja tão alto quanto a metade da população. Em julho de 2021, a população da Rússia era estimada em cerca de 142 milhões.

“Aqueles que se recusam a ser zumbis, essa metade do país é pela paz e contra a guerra”, disse ele à CNN.

No mês passado, Muratov revelou planos de leiloar sua medalha do Prêmio Nobel da Paz para apoiar os refugiados ucranianos.

Em um comunicado publicado no site do jornal, Muratov disse que as multidões de “crianças feridas e doentes” que precisavam de “tratamento urgente” o obrigaram a oferecer a prestigiosa medalha.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN