Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Vídeos divulgados pelo Hamas mostram confrontos com israelenses em Gaza

    Ataques analisados pela CNN mostram a dificuldade de deter o grupo radical islâmico

    Paul P. Murphyda CNN

    Embora as Forças de Defesa de Israel (FDI) tenham cercado a cidade de Gaza e passado mais de um mês atacando posições e túneis do Hamas, os ataques gravados recentemente divulgados pelo Hamas e analisados ​​pela CNN ajudam a ilustrar o quão difícil será deter os extremistas islâmicos.

    A CNN localizou geograficamente vários confrontos vistos nos vídeos do Hamas em três locais principais: o campo de refugiados de Al-Shati, Atatra e Beit Hanoun. As imagens foram divulgadas após o início da invasão terrestre israelense.

    Os combates restantes que a CNN não conseguiu localizar geograficamente ocorreram em ruas urbanas incrivelmente densas ou em áreas muito rurais – principalmente olivais.

    O sucesso geral nos ataques do Hamas retratados – se a maior parte dos seus combatentes sobreviveram e se estão causando baixas nos soldados israelenses ou em seus equipamentos – não é claro a partir dos vídeos, que são propagandas fortemente editadas e redigidas. O Hamas apenas elogia as suas missões bem-sucedidas nas publicações.

    No entanto, a publicação de imagens de câmeras corporais de seus combatentes realizando uma emboscada, indica que pelo menos um dos extremistas sobreviveu e trouxe de volta as imagens.

    O analista militar da CNN e tenente-general aposentado dos EUA, Mark Hertling, revisou os vídeos e disse que o Hamas provavelmente estava utilizando granadas arremessadas por foguetes, que têm o potencial de ser especificamente devastadoras para alguns veículos militares, como os blindados de transporte de pessoal.

    Um porta-voz das FDI se recusou a comentar o número de veículos militares que foram desativados ou destruídos durante a invasão terrestre, citando “considerações de segurança operacional”.

    Limpar os túneis do Hamas com arsenais de armas e combatentes no seu interior provavelmente levará meses.

    Além disso, os combatentes do Hamas também podem usar agora as consequências dos ataques militares israelenses – as ruínas de edifícios – como cobertura para realizar as suas emboscadas.

    Hertling disse que tentar impedir essas emboscadas seria como “bater em uma toupeira”, a menos que as FDI fossem capazes de destruir todos os complexos de túneis, aberturas de túneis ou poços.

    “Vai levar meses para fazer isso”, disse ele, observando que as operações de compensação não podem ser feitas por veículos.

    Os soldados das FDI terão de limpar cada edifício individualmente, atividade que os deixarão expostos ao Hamas e, por sua vez, arriscará uma taxa de baixas disparada.

    O Hamas diz que os vídeos foram feitos nos dias 2, 3, 5 e 6 de novembro. Uma análise da CNN não conseguiu confirmar de forma independente esse período, mas a duração e a direção das sombras nos vídeos também indicaram que muitas das emboscadas ocorreram em dias diferentes ou com muitas horas de intervalo.

    Na maioria dos locais, combatentes do Hamas são vistos realizando múltiplas emboscadas, em diferentes momentos do dia.

    Veja também: Israel diz que matou fabricante de armas do Hamas

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original