Zelensky acusa Rússia de bloquear 22 milhões de toneladas de alimentos em portos

Presidente ucraniano alertou que muitos países poderão enfrentar uma crise alimentar se portos não forem desbloqueados

Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas alertou para consequências terríveis se os portos ucranianos não forem abertos
Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas alertou para consequências terríveis se os portos ucranianos não forem abertos Serviço de Imprensa Presidencial Ucraniano/via Reuters

Svitlana Budzhak-JonesAlex Stambaughda CNN

Ouvir notícia

O presidente ucraniano Volodymyr Zelensky acusou a Rússia de bloquear a exportação de 22 milhões de toneladas de produtos alimentícios e alertou que, se seus portos não forem desbloqueados, muitos países enfrentarão uma crise alimentar.

“A comunidade mundial deve ajudar a Ucrânia a desbloquear os portos marítimos, caso contrário a crise energética será seguida por uma crise alimentar e muitos outros países a enfrentarão”, disse Zelensky durante uma reunião com a mídia após conversas com o primeiro-ministro português António Costa em Kiev no sábado (21), segundo o gabinete do presidente.

“A Rússia bloqueou quase todos os portos e, por assim dizer, todas as oportunidades marítimas para exportar alimentos – nossos grãos, cevada, girassol e muito mais. Muitas coisas”, afirmou ele.

“Haverá uma crise no mundo. A segunda crise depois da energética, que foi provocada pela Rússia. Agora vai criar uma crise alimentar se não desbloquearmos as rotas para a Ucrânia, não ajudarmos os países da África, Europa , Ásia, que precisam desses alimentos”.

“Você pode desbloqueá-los [os portos] de diferentes maneiras. Uma das maneiras é uma solução militar. É por isso que recorremos a nossos parceiros com pedidos sobre as armas”, disse Zelensky.

Zelensky também acusou Moscou de “roubar gradualmente” produtos alimentícios e tentar vendê-los.

“A Rússia coloca milhões de pessoas em risco de fome ao bloquear nossos portos”, tuitou o ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, no sábado, acrescentando que o país estabeleceu com seus parceiros duas rotas terrestres alternativas para exportar alimentos e “salvar a África e outras regiões da fome”.

Antes da guerra, o fornecimento de trigo da Rússia e da Ucrânia representava quase 30% do comércio global, e a Ucrânia é o quarto maior exportador mundial de milho e o quinto maior exportador de trigo, segundo o Departamento de Estado dos Estados Unidos.

O Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas – que ajuda a combater a insegurança alimentar global – compra cerca de metade de seu trigo da Ucrânia a cada ano e alertou para consequências terríveis se os portos ucranianos não forem abertos.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN