Zelensky pede ajuda da ONU para salvar pessoas sitiadas na siderúrgica de Azovstal

Distrito industrial é considerado último reduto ucraniano na cidade de Mariupol

Fumaça sobe da siderúrgica de Azovstal em Mariupol
Fumaça sobe da siderúrgica de Azovstal em Mariupol Alexander Ermochenko/Reuters (25.abr.2022)

Renata Souzada CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

Em comunicado, o gabinete do presidente ucraniano informou, nesta quarta-feira (4), que Volodymyr Zelensky, pediu ajuda ao secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, para salvar pessoas presas na siderúrgica de Azovstal, em Mariupol.

“As vidas das pessoas que permanecem lá estão em perigo. Todos são importantes para nós. Pedimos a sua ajuda para salvá-las”, disse Zelensky.

Na segunda-feira (2), um combatente ucraniano afirmou que até 200 civis permaneciam presos em bunkers na siderúrgica. O local é considerado o último reduto sob controle ucraniano na cidade de Mariupol.

Com a escalada dos confrontos em Azovstal, militares e civis se refugiaram em porões da siderúrgica. Em imagens divulgadas pela Maxar Technologies, é possível ver diversos prédios do complexo destruídos, mas não é possível identificar se os esconderijos foram atingidos.

Usina de aço em Mariupol teve telhados totalmente destruídos
Usina de aço em Mariupol teve telhados totalmente destruídos / Reprodução/CNN

CNN não pôde confirmar de forma independente o número de pessoas que permanecem na usina.

No último final de semana, cerca de 100 civis foram resgatados do local em uma evacuação organizada pelas Nações Unidas e pelo Comitê Internacional da Cruz Vermelha.

O prefeito de Mariupol, Vadym Boichenko, chegou a dizer, na segunda-feira, que o processo está muito difícil e que os russos estão criando obstáculos para a saída dos civis.

Até o momento, não foram revelados quaisquer planos para retirar as tropas ucranianas que estão em Azovstal.

 

*Com informações de David Ljunggren, da Reuters, e da CNN

Mais Recentes da CNN