Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Zoológico nacional dos EUA afirma que raposa matou 25 de seus flamingos

    De acordo com a instituição, não havia defeitos nas clausuras

    Flamingos do zoológico nacional dos EUA
    Flamingos do zoológico nacional dos EUA Smithsonian National Museum

    David WilliamsDevan Coleda CNN

    Em Washington D.C.

    O Smithsonian National Zoo, zoológico nacional dos Estados Unidos, disse nesta terça-feira (3) que 25 flamingos-americanos e um marreco-arrebio foram mortos por uma raposa selvagem que adentrou o habitat externo dos animais.

    Além dos animais mortos, três flamingos foram feridos no ataque e estão sendo cuidados por veterinários do estabelecimento, disse o zoológico em nota. A equipe do zoológico descobriu o massacre na manhã de segunda-feira (2), e viu a raposa antes que ela escapasse da clausura, de acordo com o comunicado, que afirmou que uma armadilha foi construída na área para capturar predadores.

    “Essa é uma perda devastadora para nós, e para todos que se preocupam com nossos animais”, disse Brandie Smith, o diretor do zoológico. “A barreira que usávamos passou por inspeção e é usada por outros zoológicos renomados no país. Nosso foco agora é o bem-estar do restante do bando e o fortalecimento das clausuras”.

    O bando, que possuía 74 flamingos originalmente, foi levado para um celeiro interno, e os marrecos estão em um ambiente coberto e seguro, disse a instituição. A nota destacou que “ambas as espécies estão listadas como de ‘baixa preocupação’ na Lista Vermelha da União Internacional Pela Conservação da Natureza (que rastreia espécies em extinção)”.

    O bando de flamingos vive primariamente em um jardim de 900 metros quadrados, com uma piscina aquecida e um celeiro. Os funcionários inspecionaram a integridade da clausura múltiplas vezes durante o dia e “não viram sinais de alerta” na tarde de domingo (1).

    A área das aves do zoológico, que inclui a clausura dos flamingos, está temporariamente fechada para visitação enquanto passa por reformas, e o zoológico disse em nota que “essa foi o primeiro rompimento de barreiras para predadores” na exibição desde que foram instaladas na década de 1970. A equipe já reforçou a barreira de metal ao redor dos habitats, declarou a instituição. O incidente está sob investigação.

    O ataque de segunda-feira foi um dos registrados em Washington nas últimas semanas. No mês anterior, a polícia da região afirmou que o controle de animais capturou uma raposa após seis pessoas, incluindo o representante democrático da Califórnia Ami Bera, terem sido feridas ou mordidas na área externa do Capitólio dos EUA.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original