Comitiva que viajou com Bolsonaro aos EUA tem 22 infectados com coronavírus


20 de março de 2020 às 07:08
Bolsonaro usa máscara durante coletiva em Brasília

Bolsonaro usa máscara durante coletiva em Brasília sobre medidas para controlar a disseminação do novo coronavírus no país

Foto: Adriano Machado - 18.mar.2020/ Reuters

Chegou a 22 o número de integrantes da comitiva do presidente, Jair Bolsonaro, em viagem aos Estados Unidos, infectados com o novo coronavírus. 

Foram confirmados, nessa quinta-feira (19), os resultados positivos do assessor internacional da Presidência, Filipe Martins; do chefe da ajudância de ordens, Major Cid; do diretor do Departamento de Segurança Presidencial, Coronel Suarez; e do chefe do Cerimonial, Carlos França.

Cid, Suarez e França passam muito tempo próximos ao presidente. Martins, por sua vez, viajou ao lado do secretário de Comunicação da Presidência, Fábio Wajngarten, o primeiro membro da comitiva a ter a confirmação da infecção pelo novo coronavírus. Ambos voltaram ao Brasil, no dia 11, no mesmo avião do presidente.

Os quatro estavam em isolamento pelo contato que tiveram com Wajngarten e o primeiro exame deles deu negativo. A confirmação veio no segundo teste.

Leia também:

Por que você não deve fazer álcool em gel em casa

Também na quinta foi confirmado que o presidente da Agência Brasileira de Promoção à Exportação (Apex), Almirante Sérgio Segovia, testou positivo para a COVID-19. Ele também esteve nos EUA com o presidente, não apresenta sintomas e está em isolamento domiciliar.

Os ministros do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno, e de Minas e Energia, Bento Albuquerque, também tiveram resultado positivo após a viagem.

Bolsonaro é aconselhado a refazer teste

Os dois testes de Jair Bolsonaro deram negativo, mas o Ministério da Saúde aconselhou que o exame seja refeito na próxima semana. Enquanto isso, a recomendação é para que o presidente continue em "monitoramento".

No domingo (15), Bolsonaro não seguiu a recomendação de cautela e participou de um ato a favor do governo e com críticas ao Judiciário e ao Legislativo. Ele chegou a apertar a mão de apoiadores em frente ao Palácio do Planalto.

Leia também: 

Coronavírus: o que é fake news e o que é verdade sobre a transmissão da doença

Os 22 casos confirmados do novo coronavírus entre os que integraram ou tiveram contato com a comitiva de Bolsonaro nos EUA são os seguintes:

• Fabio Wajngarten, secretário de Comunicação da Presidência da República

• Nelsinho Trad, senador pelo PTB-MS

• Nestor Forster, embaixador e encarregado de negócios do Brasil nos EUA

• Karina Kufa, advogada e tesoureira do Aliança pelo Brasil

• Sérgio Lima, publicitário e marqueteiro do Aliança pelo Brasil

• Samy Liberman, secretário-adjunto de comunicação da Presidência

• Alan Coelho de Séllos, chefe do cerimonial do Itamaraty

• Quatro integrantes não-identificados da equipe de apoio do voo presidencial aos EUA

• Robson Andrade, presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI)

• Marcos Troyjo, secretário especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia

• Flávio Roscoe, presidente da Federação das Indústria do Estado de Minas Gerais

• Daniel Freitas (PSL-SC), deputado federal

• Augusto Heleno, ministro-chefe do GSI

• Bento Albuquerque, ministro de Minas e Energia

• Sérgio Segovia, presidente da Apex

• Filipe Martins, assessor internacional da Presidência

• Major Cid, chefe da ajudância de ordens

• Coronel Suarez, diretor do Departamento de Segurança Presidencial

• Carlos França, chefe do Cerimonial