Bloqueio total foi para evitar colapso, diz prefeito de Niterói

Circulação nas ruas da cidade foram proibidas até o dia 15 de maio

Da CNN em São Paulo
11 de maio de 2020 às 09:35 | Atualizado 11 de maio de 2020 às 09:37

O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves (PDT) disse à CNN que a cidade aderiu ao bloqueio total devido à queda na taxa de isolamento da cidade e para "evitar o colapso" do sistema de saúde, o que já está ocorrendo nas demais cidades da região e do estado do Rio de Janeiro como reflexo do avanço do novo coronavírus.

"A prefeitura estruturou um plano com base na ciência, no estudo de caso com base nas experiências internacionais que deram certo no enfrentamento desta gravíssima pandemia (...) Fizemos a sanitização de comunidades, bairros, distribuimos mais de 1 milhão de máscaras, kits de higiene e limpeza. (...) O município tem a menor taxa de letalidade pelo vírus na região metropolitana do Rio, então nosso objetivo é que estas medidas restritivas mais rígidas foram tomadas exatamente para evitar o colapso que estamos vendo em cidades da região metropolitana e infelizmente, na própria cidade do Rio de Janeiro. (...) Observamos, também, nos últimos 20 dias, uma redução na taxa de isolamento social, e esse esforço concentrado durante o período é para que possamos voltar ao patamar desejado.", explica.

Leia também:
RJ inaugura 4º hospital de campanha para pacientes com Covid-19
Governo libera a importação de respiradores usados
Terceira fase da vacinação contra a gripe começa nesta segunda

"Niterói foi a primeira cidade do estado do Rio de Janeiro a registrar óbito por Covid-19, no dia 19 de março. O município tem características específicas que poderiam tornar a cidade, infelizmente, com maior propensão a óbitos pelo vírus. Nós temos uma proporção de quase 50% da população da classe A e B, ou seja, muitas famílias viajaram para o exterior e voltaram contaminadas, a cidade também tem a maior proporção de idosos do estado", completa.

Neves disse ainda que haverá fiscalização e pagamento de multa em caso de descumprimento das regras durante o período de bloqueio total da circulação de pessoas. Foi estabelecido uma multa de R$ 180 para quem permanecer em ruas, praias e praças. O valor dobra em caso de reincidência.

A Polícia Militar fará pontos de bloqueios entre os municípios vizinhos. A prefeitura também determinou que ainda seja feita a medição da temperatura das pessoas que chegam de outras cidades. O comércio que não obedecer a determinação será multado em até R$ 9 mil.

Apenas serviços essenciais permanecerão abertos. O desafio da prefeitura têm sido evitar as aglomerações  nos bancos, casas lotéricas e o comércio ambulantes irregular. Só estão autorizados a funcionar, mercados e supermercados, padarias, farmácias, pet shops e postos de combustível.

"Nosso apelo é que a população tenha uma conscientização elevada sobre a gravidade do problema. Os cidadãos são muito solidários, que têm feito com disciplina o isolamento social e isso já salvou centenas de vidas. E em um gesto de amor, sobretudo aos seus pais e avós, têm ficado em casa".