Enquete sobre data do Enem acontecerá entre 20 e 30 de junho


Anna Satie, da CNN, em São Paulo
10 de junho de 2020 às 16:39
Tela de entrada do aplicativo do Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem

Tela de entrada do aplicativo do Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem

Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil (28.mai.2020)

A enquete sobre a data de realização do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) estará disponível entre 20 e 30 de junho, informou o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) nesta quarta-feira (10).

No mês passado, o governo federal anunciou inicialmente que o adiamento seria de entre 30 e 60 dias. Em 25 de maio, o ministro Abraham Weintraub disse que o MEC já trabalhava com um possível adiamento de até 120 dias. Uma das opções de data sugeridas hoje contempla a realização da prova 180 dias depois da data prevista.

As opções à disposição dos inscritos são as seguintes:

Enem impresso: 6 e 13 de dezembro de 2020 / Enem digital: 10 e 17 de janeiro de 2021;

Enem impresso: 17 de janeiro de 2021 / Enem digital: 24 e 31 de janeiro de 2021; ou

Enem impresso: 2 e 9 de maio de 2021 / Enem digital: 16 e 23 de maio de 2021.

Para votar, os inscritos devem acessar a Página do Participante no site do Enem e inserir o CPF e a senha criada no momento do cadastro. Hoje (10) é o último dia para o pagamento da taxa de inscrição.

Inicialmente, o teste estava previsto para os dias 1º e 8 de novembro na modalidade impressa e 22 e 29 do mesmo mês para o modelo digital.

Idas e vindas

No início de maio, o Ministério da Educação veiculou uma campanha de publicidade que reforçava as datas de inscrição, e dizia que a vida "não pode parar". Em entrevista à CNN no mesmo mês, o ministro Abraham Weintraub disse que seria "precipitado e desumano adiar o Enem". 

Após o Senado aprovar de maneira quase unânime uma proposta que suspenderia o exame em situações de calamidade pública, o governo federal anunciou que o exame seria adiado em pelo menos um mês em função da pandemia do novo coronavírus.

Nos bastidores, o presidente Jair Bolsonaro teria ligado para Weintraub e dito que, se o governo não se posicionasse, sofreria uma derrota no Congresso Nacional.

No dia do anúncio, o presidente publicou em seu perfil do Facebook que o adiamento era uma decisão sua em conjunto com Maia.

"Por conta dos efeitos da pandemia de Covid-19 e para que os alunos não sejam prejudicados pela mesma, decidi, juntamente com o Presidente da Câmara dos Deputados, adiar a realização do ENEM 2020, com data ser definida", escreveu.