Arquidiocese do Rio confirma retorno de missas presenciais para 4 de julho

Cerimônias estão suspensas desde 20 de março, devido à pandemia de coronavírus.

da CNN, em São Paulo
19 de junho de 2020 às 12:42
Devoto de São Jorge reza do lado de fora de igreja fechada no Rio de Janeiro
Foto: Ricardo Moraes - 23.abr.2020/Reuters
 
A Arquidiocese do Rio anunciou nesta sexta-feira (19) que irá retomar as missas e celebrações religiosas com a presença de fiéis a partir do dia 4 de julho, nas mais de 280 igrejas da cidade. Devido à pandemia de coronavírus, as cerimônias presenciais estavam suspensas desde 20 de março.

O cardeal dom Orani Tempesta, arcebispo metropolitano do Rio, afirmou que a retomada das celebrações respeita as normas estabelecidas pelas autoridades. 

"Conversamos com nossos bispos, padres, e mantivemos um constante diálogo com todas as regiões de nossa Arquidiocese para analisarmos cada detalhe. Dessa maneira, decidimos dar este passo, mas respeitando todas as orientações de prevenção, higiene e distanciamento já estabelecidas anteriormente", afirmou o religioso, ressaltando ainda ter consultado infectologistas, médicos e profissionais de saúde ligados à Igreja Católica.

Leia também:

Basílica de São Pedro é reaberta ao público para a celebração de missas

Com igrejas fechadas, católicos encontram novas formas de união

Crivella mantém regras de isolamento, mas coloca igrejas como serviço essencial

O retorno das celebrações de missas presenciais seguirá um protocolo que prevê uma série de medidas para evitar a propagação da Covid-19. Como por exemplo, a ocupação de no máximo 30% dos templos religiosos, uso de máscaras de proteção e aferição de temperatura dos fiéis na entrada das igrejas.

A arquidiocese sugere que idosos e outros membros do grupo de risco continuem acompanhando as cerimônias de casa, por TVs, rádios ou internet. 

Com Estadão Conteúdo