Duas regiões de São Paulo retrocedem à fase mais restritiva da quarentena

Marília e Registro tiveram aumento no número de internações por Covid-19

da CNN, em São Paulo
19 de junho de 2020 às 15:11 | Atualizado 19 de junho de 2020 às 17:21

Com o avanço do novo coronavírus no interior do estado de São Paulo, duas regiões foram reclassificadas e vão retroceder à fase mais restritiva da quarentena, a vermelha, que só permite o funcionamento de serviços essenciais. São elas: Marília, que teve 51% aumento de internações, e Registro, que apresentou um aumento de 67% nesse item.

Com a mudança na classificação, essas duas regiões se juntam a outras três do interior do Estado que permanece na fase vermelha: Barretos, Presidente Prudente e Ribeirão Preto. A medida começa a valer a partir de segunda-feira (22). A quarentena é válida em todo o estado até o dia 28 de junho.

As fases de reabertura da quarentena no estado de São Paulo
Foto: Reprodução

Leia também:

Veja como vai funcionar flexibilização da quarentena no estado de São Paulo

Com flexibilização, estudo projeta três vezes mais mortos por Covid-19 em SP

De acordo com o governo estadual, as cidades de Campinas e Sorocaba registram um problema específico, somente nas cidades, e não em toda a região. Com isso, elas continuam na fase laranja, que permite a reabertura de comércios de forma parcial. Será emitida uma nota técnica somente para os dois municípios e, caso entendam que seja necessário, os prefeitos podem determinar medidas mais restritivas.

"Essas duas cidades estão entrando em uma zona mais perigosa. O comitê está fazendo essa nota técnica sugerindo que esses prefeitos possam fechar esses municípios neste instante", afirmou Carlos Carvalho, chefe do Centro de Contingência Contra a Covid-19.

De acordo com o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, a taxa de ocupação de leitos em Campinas é de 72% e de 75% em Sorocaba.

Nesta sexta-feira (19), o estado de São Paulo registrou 19.030 novos casos, recorde para um único dia. Segundo a gestão João Doria (PSDB), a alta é resultado de um problema enfrentado durante dois dias na atualização do dados via e-SUS.

Com isso, foi ultrapassada a marca de 200 mil casos. Ao todo, o estado soma 211.658 episódios e 12.232 mortes pela doença causada pelo novo coronavírus.

(Com informações do Estadão Conteúdo)