Multa por falta de máscara é educativa, não arrecadatória, diz secretário de SP


Da CNN
29 de junho de 2020 às 15:31

O secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, explicou à CNN, nesta segunda-feira (29), o decreto para multar pessoas sem máscara em locais públicos e estabelecimentos comerciais que permitam a entrada de clientes sem o equipamento de proteção individual. 

As multas serão de R$ 500 para cidadãos que infringirem a regra e de R$ 5 mil para os estabelecimentos comerciais. A medida passa a valer a partir do dia 1° de julho e tem vigência em todo o estado de São Paulo, segundo informou o governador João Doria (PSDB) nesta segunda.

De acordo com o secretário, os valores serão direcionados para o Fundo de Combate à Pobreza, "e, portanto a multa não tem sentido arrecadatório".

"É educativo para que a gente possa atingir os mais altos índices possíveis de utilização de máscara, resguardando a vida das pessoas", defendeu ele, que considerou que o uso de máscaras foi muito importante para o combate à pandemia da Covid-19 em São Paulo.

Vinholi ainda esclareceu que o uso de máscaras no interior de veículos de transporte individual não é obrigatório e mais dúvidas sobre a reabertura em São Paulo. Assista acima.

Leia também:

SP vai multar pessoas sem máscara e comércio que permitir entrada sem proteção
São Paulo ultrapassa 14 mil mortes por coronavírus
Covid-19: hospital de campanha do Pacaembu, em São Paulo, é desativado

Queda em mortes

De acordo com o boletim epidemiológico divulgado nesta segunda-feira (29), foram registrados 275.145 casos de Covid-19 no estado de São Paulo, com 14.398 mortes. 

Segundo o governo, houve uma redução de 144 mortes por Covid-19 na última semana, encerrada no domingo (28), em relação à semana anterior. 

A ocupação de UTIs no estado ficou 65%, segundo o governo. Na grande São Paulo, este índice é de 66,6%.

A taxa de isolamento avançou no estado e na capital entre sábado (27) e domingo (28). No estado, saiu de 48% para 52%. Na capital, foi de 49% para 53%.

(Edição: Marina Motomura)