Há 4 fazendas investigadas pelos incêndios no Pantanal, diz delegado da PF


Da CNN, em São Paulo
16 de setembro de 2020 às 17:19

As queimadas no Pantanal ocupam o noticiário brasileiro há dias, com o fogo devastando o ambiente, ferindo animais gravemente e avançando cada vez mais, agora chegando ao estado de São Paulo.

Enquanto voluntários e alguns órgãos tentam conter as chamas, a Polícia Federal trabalha para rastrear as origens do fogo. Segundo o Delegado Daniel Rocha, responsável pelas investigações sobre as queimadas no região, a PF trabalha com quatro fazendeiros suspeitos de ter iniciado as queimadas.

“Nossa investigação analisa focos de incêndios entre junho e julho, e concluímos que eles foram causados por ação humana. As investigações e as perícias apontaram para 4 fazendas que podem ter iniciado o fogo. As fazendas e seus proprietários estão sendo investigados,” disse Rocha em entrevista à CNN nesta quarta-feira (16).

Leia também

Governo destina R$ 10 milhões para combater queimadas no Mato Grosso

Queimadas no Pantanal: 5 respostas para as perguntas mais comuns

Senado instala comissão temporária para acompanhar incêndios no Pantanal

Delegado Daniel Rocha

Delegado Daniel Rocha, responsável pelas investigações das queimadas no Pantanal

Foto: CNN (16.set.2020)

“Por meio de análise de imagens de satélite, identificamos que alguns focos se iniciaram no interior de propriedades rurais, um indício de que os fogos foram ateados para a criação de pastagem.”

O delegado explica que, caso seja comprovada a queimada criminosa, os responsáveis terão que responder por uma série de crimes que extrapolam os de incêndio e poluição.

“Os criminosos poderão ser enquadrados no crime de incêndio, poluição, dano direto e indireto a unidade de conservação, pois está perto do Parque Nacional do Pantanal e também por crime contra uma área de preservação permanente, porque atingiu a mata ciliar do Rio Paraguai.”

(Edição: Sinara Peixoto)