Ibama convoca agentes e suspende ações contra incêndios


Bia Gurgel e Bianca Camargo, da CNN, em Brasília e em São Paulo
22 de outubro de 2020 às 08:41 | Atualizado 22 de outubro de 2020 às 10:50

O Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) determinou que todos os agentes em trabalho no combate a incêndios florestais retornem para suas bases, a partir de meia-noite de hoje. 

A ordem partiu da Diretoria de Proteção Ambiental em ofício enviado às diretorias do Ibama. De acordo com o documento, assinado pelo Diretor Olímpio Ferreira Magalhães, após o retorno, brigadistas "deverão aguardar ordens para o emprego em operações em campo".

 

Leia e assista também:
Com chuvas, média de queimadas diárias do Pantanal cai 71,8%
Queimadas na Amazônia Legal de janeiro a outubro é a maior dos últimos 10 anos
'Pantanal levará décadas para se recuperar', diz diretor de associação

Em outro documento interno, o Diretor de Planejamento do órgão, Luís Carlos Nagao alega falta de recursos para a decisão. "Considerando que as tratativas com os órgãos superiores para solução do problema ainda não surtiram efeito, comunico a indisponibilidade de recursos financeiros para fechamento do mês corrente, não sendo possível prosseguir com os pagamentos das despesas desta Autarquia", disse. 

No final de agosto, o Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, informou que as operações de combate ao desmatamento ilegal na Amazônia e queimadas no Pantanal seriam suspensas por bloqueio de recursos. Algumas horas depois, o vice-presidente, Hamilton Mourão, disse que o ministro "se precipitou", que o dinheiro não seria bloqueado e por isso as operações prosseguiriam normalmente.

Reprodução/Corpo de Bombeiros de Corumbá (MS)

Pantanal tem recorde de queimadas em 22 anos no MS

Foto: Reprodução/Corpo de Bombeiros de Corumbá (MS)

 

Nota do Ibama

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) informa que a determinação para o retorno dos brigadistas que atuam no Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (Prevfogo) acontece em virtude da exaustão de recursos. Desde setembro, a autarquia passa por dificuldades quanto à liberação financeira por parte da Secretaria do Tesouro Nacional.

Para a manutenção de suas atividades, o Ibama tem recorrido a créditos especiais, fundos e emendas. Mesmo assim, já contabiliza 19 milhões de pagamentos atrasados, o que afeta todas as diretorias e ações do instituto, inclusive, as do Prevfogo.