Capitais têm mais protestos contra morte de homem negro no Carrefour

João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, foi morto na última quinta-feira (19), véspera do Dia da Consciência Negra, em supermercado

Da CNN
23 de novembro de 2020 às 10:54 | Atualizado 23 de novembro de 2020 às 10:58


Duas manifestações contra a morte de João Alberto Silveira Freitas estão previstas para esta segunda-feira (23). Rio de Janeiro e Porto Alegre, cidade em que o caso aconteceu, devem receber manifestantes nas ruas.

Ao longo do fim de semana, vários protestos foram registrados em todo o país. No sábado (21), manifestantes exibiram a inscrição "Vidas pretas importam" na avenida Paulista, em São Paulo. O protesto ocupou três faixas da via.

Em Goiânia, o ato aconteceu diante do estacionamento de uma das lojas do Carrefour. Foram exibidos cartazes antirracistas e com pedidos por justiça. Em Curitiba, os manifestantes picharam a porta de uma unidade do supermercado com a palavra "racistas".

Leia também:

Protesto contra racismo termina em confusão em São Paulo
CEO do Carrefour: ‘As imagens são insuportáveis e não compactuamos com racismo’
Empresa demite por justa causa vigilantes envolvidos na morte de João Alberto

No Rio de Janeiro, o ato percorreu várias ruas da Zona Norte durante três horas. A Polícia Militar acompanhou a caminhada e não houve nenhum registro de confusão.

João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, foi morto na última quinta-feira (19), véspera do Dia da Consciência Negra, ao ser espancado por dois seguranças, que foram presos em flagrante. A causa da morte, segundo laudo, foi asfixia.

Na sexta-feira (20), manifestantes protestaram em Porto Alegre contra morte de homem negro em supermercado
Foto: FERNANDO ALVES/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/AGIF/ESTADÃO CONTEÚDO

(Publicado por: Marina Motomura)